Mais de 400 mulheres serão empoderadas com formação em diversas áreas de negócio

Cidade da Praia, 29 Set ((Inforpress) – Mais de 400 mulheres de quatro ilhas de Cabo Verde vão ser empoderadas com formação em diversas áreas de negócio, visando com isso uma maior qualificação, experiência e oportunidade para autoemprego.

A intenção do protocolo rubricado hoje entre o Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade de Género (ICIEG) e o Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (IEFP), tem, segundo os promotores da acção, o propósito de melhorar as condições de acesso às oportunidades de emprego digno, bem como as condições de acesso à economia formal.

“O projecto, que engloba 19 formações estruturantes nas áreas que promova o autoemprego, foca nas mulheres e jovens e o objectivo é promover a autonomia económica desta camada populacional particularmente após a situação de covid-19”, disse a consultora do projecto que anunciou também a entrega de kits para as formandas.

Através do projecto, orçado em 15 milhões de escudos, informou a consultora, será reforçada a capacidade de algumas associações comunitárias, visto que se prevê no final da formação a montagem de duas pequenas indústrias têxteis, sendo uma em Santa Catarina e a outra em Santa Cruz.

Na ocasião, a presidente do ICIEG, Marisa Carvalho, que sublinhou tratar-se este de mais uma acção de formação delineada em parceria com o IEFP, afirmou que os cursos foram adaptados conforme a necessidade de cada um dos municípios alvo do projecto.

“Vamos assegurar que todas as formandas que participam nesses cursos tenham ao dispor cuidadores para tomar conta dos seus dependentes e garantir, assim, que participam nas acções de capacitação”, acrescentou, sublinhando por outro lado, que a intenção do ICIEG é formar e concretizar empregos autossustentáveis.

Por sua vez, o presidente do IEFP, Paulo Santos, manifestou satisfação por firmar mais uma parceria com o ICIEG, uma instituição que consegue, segundo disse, financiamento e procura parceiros para “fazer e operacionalizar as formações”.

“As mulheres são o nosso público alvo que queremos beneficiar e ajudar no processo de desenvolvimento pessoal e de novas competências”, disse alegando que o papel da instituição é proporcionar às pessoas o bem-estar social ajudando-as a sair do ciclo da pobreza.

Informou ainda que o IEFP, no âmbito do Programa Integrado de Desenvolvimento de Competências (PIDC), assinou para o ano 2002 um acordo à volta de 41 mil contos, tendo também conseguido, na medida, um do Fundo de Promoção do Emprego 92 mil contos de financiamento para formação profissional.

Com a Cooperação Espanhola, indicou, o ICIEG conseguiu 15 mil contos, no âmbito do fomento profissional, para formar mulheres e jovens e proporcionar melhores condições de vida às pessoas.

As acções de formação profissional acontecem no âmbito do projecto “Promover o Empoderamento Económico / Autonomia das Mulheres”, financiado pela Cooperação Espanhola no valor de 15 mil contos.

Entre as principais formações, destacam-se gestão de pequenos negócios, técnicas de culinária, pastelaria e panificação, estética, cuidados de dependentes, bar e restauração, corte e costura, criação e gestão de cooperativas e planificação estratégica.

No protocolo rubricado, o IEFP compromete-se a criar condições para proporcionar as formações nas ilhas de Santiago (Praia, Santa Catarina e Santa Cruz), Boa Vista, Santo Antão (Paul e Porto Novo), São Vicente e Sal.

PC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos