Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Mais de 400 artesãos já estão certificados a nível nacional e devidamente mapeados – ministro

Cidade da Praia, 04 Jun (Inforpress) – O ministro da Cultura e Indústrias Criativas, Abraão Vicente, disse hoje que mais de 400 artesãos já estão certificados e devidamente mapeados no site https://siart.cv/ , indicando seu tipo de arte, formação e o trabalho que desenvolvem.

Abraão Vicente fez esta declaração à imprensa, à margem da entrega de ‘kits’ de artesão, no âmbito do reconhecimento profissional no sector.

Na ocasião, o governante indicou que quem entra na plataforma consegue localizar cada um desses nomes nas suas localidades, o seu tipo de arte, formação, o tipo de material que fazem e como trabalham.

“Este é um trabalho de mapeamento do artesanato ligado às indústrias criativas que vai ser replicado na música, no sector da gastronomia, da cerâmica, entre outros”, assinalou o ministro.

Conforme destacou, o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas está a fazer a sua parte, por isso, apelou aos artesãos e artistas em geral que façam a sua, ou seja, que se inscrevam como profissionais do sector, dêem dignidade à sua própria profissão.

Segundo o governante, a entrega dos kits é um acto simbólico, mas de grande valor, cujo objectivo é dar visibilidade a um processo que é moroso e, tecnicamente, bastante complexo. 

Por outro lado, atestou, fazer o mapeamento a nível nacional, ir ao encontro do artesão, continuar a sua formação, inscrevê-lo na  plataforma, dá corpo “ao grande investimento” que se está a fazer na ilha de São Vicente no Centro Nacional da Arte e Design, assim como aos laboratórios experimentas de arte e design um pouco por todo o País.

Por outro lado, Abraão Vicente frisou que haverá todo um trabalho de pedagogia junto aos hotéis, lojas que revendem artesanato cabo-verdiano e junto à sociedade civil, no sentido de se perceber que o artesanato certificado é um artesanato que deve ser vendido como produto de Cabo Verde.

“Para os artesãos é uma questão de sobrevivência da própria arte e da própria profissão, estarem inscritos e participarem no desenvolvimento do País, pois quem contribui com impostos recebe também do Estado,  incentivos que são proporcionais”, salientou.

O projecto de regulamentação profissional do artesão, eixo que cria as condições necessárias à profissionalização deste sector, iniciou em 2018 e percorreu um longo percurso composta por diversas metas e acções.

Foram entregues os kits aos artesãos Domingos Luísa, Daniel Alvarenga, Jocelina Ferreira, Felisberto Tavares, José Manuel Duarte Gomes, Maria Delgado e Mamadou Drame.  

HR/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos