Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Mais de 36.000 alunos iniciaram hoje o ano lectivo 2017/2018 no município da Praia, o maior do País

 

Cidade da Praia, 18 Set (Inforpress) – Cerca de 36.200 alunos iniciaram hoje o ano lectivo 2017/2018 no concelho da Praia, distribuídos por 1.200 professores, sendo quase 16.000 no ensino básico, 13.200 no ensino secundário e cerca de 7.000 matriculados no pré-escolar.

Os dados foram avançados pelo delegado do Ministério da Educação da Praia, Adriano Moreno, em declarações à imprensa à margem da sessão solene de abertura do novo ano lectivo, presidido pelo ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, sob o lema “Educação: um compromisso com o presente e com o futuro”.

Segundo o responsável, esta estatística pode variar um bocadinho, a nível do pré-escolar que está sob a responsabilidade da Câmara Municipal da Praia, garantindo que a partir da próxima semana, os eventuais constrangimentos estarão resolvidos para que o ano lectivo decorra na “normalidade” no maior município do país.

Entre esses constrangimentos estão as obras nas escolas, nomeadamente no Liceu Constantino Semedo e na escola do ensino básico de Lavadouro, que ainda decorrem, mas Adriano Moreno salientou que neste último tudo estará pronto até a próxima quarta-feira e no liceu, num período de um mês e meio, ou seja, em finais de Outubro, fazendo com que os alunos tenham menos de 100 minutos de aulas por dia, que deverão ser recuperados, posteriormente.

“A partir da próxima semana as aulas vão estar a decorrer na normalidade, teremos todos os professores nas turmas e as salas disponíveis”, assegurou, explicando que, neste momento, está-se na fase da contratação dos professores de francês e inglês para os alunos do 5º ano de escolaridade e cumprir o novo plano curricular.

Segundo ele, a contratação será feita durante toda esta semana, assim como os cadernos experimentais vão ser disponibilizados à delegação, também esta semana para serem posteriormente distribuídos às escolas para serem comercializados, sendo certo que todos os outros manuais já estão disponíveis nas livrarias para aquisição.

“Uma outra novidade tem a ver com o 5º ano de escolaridade em que vai haver um professor para cada disciplina nuclear, juntamente com a introdução da língua francesa e inglesa, o que vai permitir que os alunos tenham maior proficiência linguística”, frisou, indicando que no 9º ano vai haver a introdução do mandarim.

Em relação ao reforço da língua portuguesa muito falado pelo Ministério da Educação, Adriano Moreno esclareceu que durante as férias escolares os professores estiveram a ser capacitados para trabalharem com a língua portuguesa e permitir que os alunos tenham maiores condições para, também, aprenderem as outras disciplinas.

Por sua vez, o ministro Gilberto Silva, em representação do Governo, deixou uma mensagem de um ano lectivo produtivo, com “muita perspicácia” no que se faz, visando “tirar um bom proveito” da herança que é de todos, ou seja, o conhecimento para a população escolar, que por sua vez há de acrescentar e passar para as gerações futuras.

“A isenção de propinas para os alunos até ao 7º ano, significa, seguramente, maior inclusão, porque o Governo defende todo um conjunto de princípios que ajuda a massificar o ensino, aumentar o acesso e a qualidade do ensino para todos”, afirmou, sublinhando que investindo hoje na educação, haverá um país mais desenvolvido.

A nível nacional, os dados do Ministério da Educação indicam que haverá, 7.815 docentes para este ano lectivo, mais 218 do que no ano anterior, e são esperados 130 mil alunos, sendo 22 mil no pré-escolar, 74 mil no 1º ao 7º ano de escolaridade e 34 mil no 8º ao 12º ano de escolaridade.

DR/FP

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos