Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Mais de 100 activistas, jornalistas e políticos alvo de ataques de ‘spyware’ – Microsoft

Lisboa, 15 Jul (Inforpress) – Mais de 100 activistas, jornalistas e políticos de vários países do mundo foram alvo de ataques informáticos através de ‘software’ malicioso de espionagem, produzido pela empresa israelita Candiru, no sistema operativo Windows, informou hoje a Microsoft.

As vítimas – aproximadamente metade – encontravam-se em território palestino, e as restantes em Israel, Líbano, Iémen, Espanha [na Catalunha], Reino Unido, Turquia, Arménia e Singapura.

Aproveitando as vulnerabilidades do Windows, ‘hackers’, a operar na Arábia Saudita, Israel, Hungria, Indonésia e noutros países, compraram e instalaram o ‘software’ de espionagem remota fabricado pela Candiru.

O ‘software’ – que se designa por ‘spyware’ e recolhe informações pessoais e de navegação na Web – foi usado em “ataques contra computadores, telefones, infra-estruturas de rede e dispositivos conectados à Internet”, afirmou o director-geral da Unidade de Segurança Digital da Microsoft, Cristin Goodwin.

Alertada por investigadores de segurança cibernética do Citizen Lab da Universidade de Toronto, no Canadá, a Microsoft lançou programas de protecção digitais [‘patches’], na terça-feira, para corrigir as fragilidades do Windows.

De acordo com um comunicado publicado hoje, ao qual a Lusa teve acesso, a Microsoft não cita a Candiru e diz que o ‘software’ será da empresa Sourgum.

“Acreditamos que a Sourgum é um actor ofensivo do sector privado de Israel […].A Sourgum geralmente vende armas cibernéticas que permitem aos seus clientes, muitas vezes agências governamentais em todo o mundo, invadir computadores, telefones, infra-estruturas de rede e dispositivos conectados à Internet”, pode ler-se no comunicado.

Segundo o Citizen Lab, as investigações permitiram novas observações sobre o custo dos negócios na indústria de ‘spyware’.

Por 16 milhões de euros, os clientes da Candiru podem comprometer um número ilimitado de dispositivos, mas estão limitados a rastrear 10 de cada vez, de acordo Citizen Lab. Por um valor extra de 1,5 milhão de euros, os compradores podem monitorar mais 15 vítimas.

A Candiru tem clientes na Europa, Rússia, Médio Oriente, Ásia e América Latina, segundo o jornal israelita Haaretz.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos