Maior desafio da Cidade Velha é continuar as investigações para descobrir a sua verdadeira história – Abraão Vicente (c/áudio)

Cidade da Praia, 18 Abr (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas afirmou que o maior desafio da Cidade Velha, Património Mundial da Humanidade, é continuar a fazer as investigações para que se possa descobrir a verdadeira história deste sítio histórico.

Abraão Vicente falava em declarações à imprensa, na tarde de quarta-feira, 17, no final da abertura das V Jornadas Transnacionais de Trabalho: “A conservação do património submerso” do projecto Margullar”, que termina hoje, no município de Ribeira Grande de Santiago.

No dia 26 de Junho deste ano, o berço da Nação cabo-verdiana assinala o 10º aniversário da sua classificação como Património Mundial da Humanidade, uma decisão da Unesco, de 2009, órgão da ONU que cuida da educação e da cultura.

Para o ministro, ainda há um grande desafio da sua sustentabilidade, de estancar as construções ilegais, de ajudar a câmara municipal a projectar a nova cidade ou o melhoramento dos assentamentos urbanos que já existem, no sentido de haver centros urbanos que possam acomodar a vontade dos cidadãos em continuar a residir ali, e continuar as investigações.

“Na minha perspectiva, o maior desafio é continuar a fazer as investigações sobre Cidade Velha porque eu digo sempre a todos que eu trago cá: esta não é a Cidade Velha histórica, por debaixo desta Cidade Velha, há a Cidade Velha histórica e é preciso continuar a investigar”, afirmou.

O governante demonstrou a sua satisfação pelos recursos já alocados no Orçamento do Estado para o Instituto do Património Cultural fazer o restauro do património histórico. Contudo, afirmou que ainda é preciso mais recursos para permitir a investigação que o IPC e as universidades têm levado a cabo.

Defendeu ainda que é preciso capacitar os cabo-verdianos para que a “Cidade Velha seja um campo arqueológico a tempo inteiro”.

“Isso não pode ser desiderato apenas deste Governo, tem que ser uma missão nacional, descobrir a verdadeira história da Cidade Velha. Veja o desastre que, infelizmente, aconteceu em Notre Dame, imagino o que terá acontecido na mesma proporção com o ataque de Jacque Casard quando destruiu a nossa Sé Catedral, que demorou 120 anos a ser construído”, reviveu.

Abraão Vicente acrescentou ainda que não acredita na falta de recursos, mas, a seu ver, é necessário haver um engajamento político para a recuperação do património já construído e ainda é preciso um forte engajamento do Estado para resgatarem a história na sua totalidade.

AM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos