Maio: Vinte mulheres recebem diploma de cuidadoras de infância

Porto Inglês, 11 Dez (Inforpress) – Um total de vinte mulheres, algumas com experiência no ramo, receberam hoje os seus diplomas de cuidadoras de infância, num acto que foi presidido pelo ministro da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social, Fernando Elísio Freire.

Em nome das colegas, a monitora de infância Marialice Lima, que já conta com mais de duas décadas de experiência, começou por falar sobre o seu percurso nesta área, que, na sua opinião, foi bastante “difícil”, tendo em conta os constrangimentos que enfrentou nos primeiros anos de trabalho.

Por isso, regozijou-se com a possibilidade de receber uma formação nesta área, defendendo que as acções de formação neste domínio devem ser continuadas, para que tenham mais ferramentas de trabalho com a primeira infância.

Marialine Lima aproveitou a ocasião para também exortar as colegas a abraçarem esta missão com sentido de responsabilidade, paciência e também com amor à profissão, visto que são elas as primeiras orientadoras das crianças no seu processo de socialização e aprendizagem.

Questionada se com esta formação as monitoras e educadoras de infância vão ter melhores condições de trabalho e acima de tudo salariais, aquela monitora de infância mostrou-se convicta de que a situação vai melhorar nos próximos anos.

Por seu lado, o autarca maiense Miguel Rosa começou por realçar a atenção que a câmara tem vindo a dar ao sector da educação, com destaque à primeira infância, realçando que nos próximos anos com os investimentos previstos para a ilha, esta área vai ter “grandes oportunidades” para as pessoas com formação neste sector.

Reforçou ainda que, no futuro próximo, gostaria também de ver os homens a serem integrados nesta área, para haver igualdade de género na vertente educacional.

Ao usar da palavra, o ministro Fernando Elísio Freire disse o Governo tem vindo a apostar na inclusão social, com vista a criar melhores condições, para não deixarem “ninguém para trás”. Para tal, defendeu que o executivo está a fazer uma “aposta forte” na universalização do acesso ao pré-escolar, que vai desde 1 ano até ao ensino primário.

“Temos que ir ainda um pouco mais atrás para também permitirmos que as crianças tenham acesso às creches e, neste particular, queremos desenvolver juntamente com a câmara municipal, um programa, de modo a não deixarmos nenhuma criança sem acesso ao pré-escolar”, salientou, frisando que isso vai permitir que os pais se desloquem aos seus postos de trabalho sem terem que se preocupar muito com os seus filhos.

Informou ainda que foi assinado sexta-feira, em Conselho de Ministros, um decreto-lei que vai reconhecer e criar as condições para as cuidadoras de infância, que vai ser certificado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional, pelo que exortou as formandas a criarem uma associação, bem como a apostarem no auto-emprego, uma vez que vai ser criado uma linha de financiamento para o efeito.

O autarca exortou, por outro lado, as formandas para que tenham maior empenho e respeito nas suas profissões, de modo a conseguirem cada vez mais o respeito da sociedade, e principalmente aos pais e encarregados de educação, uma vez que são as primeiras a terem contacto com as crianças no seu processo de educação.

WN/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos