Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Maio: UCID quer ser uma opção para representar os maienses no Parlamento

Porto Inglês, 29 Mar (Inforpress) – A União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) fez, este fim-de-semana, a apresentação da sua lista para as eleições de 18 de Abril, encabeçada por Albertino Garcia, que quer ser uma nova opção para representar os maienses no parlamento.

No seu discurso de apresentação, Albertino Garcia manifestou o seu desejo de ver o seu partido cada vez melhor representado na ilha, conseguindo para tal angariar mais militante e amigos, de forma a conseguirem ser uma alternativa aos demais partidos e acabar com o sistema de bipartidarismo na ilha, e com isso levar a preocupação do povo maiense para o parlamento cabo-verdiano.

“Queremos ser um partido mais bem representado na ilha e queremos mostrar de facto que somos uma opção e alternativa, porque temos uma ideia clara, concreta e real, que queremos colocar em prática para desenvolver a ilha”, sublinhou, alertando que é preciso dinamizar os potenciais da ilha, com vista a criar melhores condições de vida à população local.

Albertino Garcia apontou vários sectores em que a ilha possui grandes potenciais, mas que “infelizmente”, na sua óptica, não estão a ser aproveitados e apontou como exemplo a agricultura, as indústrias extractivas, a pesca e mesmo o turismo, pelo que prometeu caso vier a merecer a confiança dos maienses levar estas preocupações ao partido e ao parlamento, de modo a que a ilha venha a conhecer novos modelos de desenvolvimento.

“O nosso maior objectivo é governar o país, mas não conseguindo isso temos também a ambição de conseguir maior representatividade para exigirmos cada vez mais para a nossa gente e é isso que quero fazer especialmente para a minha ilha”, salientou, lembrando que não foi fácil estruturar a lista, mas graças ao empenho e disponibilidade dos seus colegas conseguiram e estão determinados em conseguir “um bom resultado” no próximo dia 18.

Por seu lado, o líder António Monteiro começou por dizer que o partido conheceu alguma “dificuldade” na ilha, no que tange à aceitação da lista junto da Comarca, lembrando que respeitaram todos os requisitos exigidos neste processo, pelo que tiveram que recorrer ao Tribunal Constitucional, que, por sua vez, veio a dar razão ao partido.

António Monteiro fez saber que o cabeça-de-lista e todos os constituintes da lista, são pessoas comprometidas com o desenvolvimento e bem-estar do povo maiense, lembrando que a maioria deles nem sequer são militantes do partido, mas mostraram-se disponíveis para juntamente com a UCID dar a ilha uma nova opção de escolha e representatividade no parlamento.

Para António Monteiro, é preciso acabar com a “ditadura” da maioria e assim aproveitar todo o conhecimento e disponibilidade daqueles que querem dar o seu contributo para o desenvolvimento do país, por isso ressalvou que é preciso um “basta dos mesmos rostos”, com vista a dar um rumo diferente para o país e para ilha.

“Por isso mesmo que queremos ter este jovem o Albertino Garcia como deputado como deputado do Maio na lista da UCID e não um deputado da UCID na lista do Maio e isto faz muita diferença, porque ele não vai estar no parlamento a defender a UCID, porque eu enquanto presidente do partido não trabalho para a UCID, mas para todos os cabo-verdianos para servir o nosso povo”.

Aquele líder partidário realçou ainda que a ilha do Maio tem todos os condicionalismos para desenvolver, mas que “infelizmente” os dois partidos têm aproveitado a forma de ser dos maienses para não se alavancar os potenciais da ilha e seu desenvolvimento, frisando que hoje em dia já não se fala da cimenteira.

“Com o potencial existente na ilha é preciso alavancar a agricultura e torná-la o celeiro de Cabo Verde, mas para tal é preciso apostar nas novas tecnologias para além disso “temos que pensar o que fazer com toda essa acácia que prolifera por toda ilha, fazendo com que os lençóis freáticos acabem por secar, por isso é preciso cuidar dessa situação”.

Concluiu, apelando aos maienses que dêem uma oportunidade à UCID e à lista encabeçado por Albertino Garcia, Octávia Teixeira, João Tavares e Andreia Horta de modo a poderem representar a ilha da melhor forma e criar mais condições de vida ao povo maiense, fundamentalmente na questão do transporte inter-ilhas e com o resto do mundo.

WN/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos