Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Maio: Situação das crianças é “relativamente estável” – maior problema é atribuição da pensão alimentar – ICCA

Porto Inglês, 11 Jun (Inforpress) – O coordenador do gabinete do ICCA no Maio, Mário Fernandes, considerou hoje que a situação das crianças na ilha é “relativamente estável”, sendo “maior problema” a questão de atribuição da pensão alimentar.

A mesma fonte confirmou que uma das questões que tem merecido “alguma preocupação” por parte do ICCA na ilha são frequentes queixas ou solicitações de pensão alimentar por parte das mães que vivem com filhos sem a companhia dos pais, situação que “nem sempre tem sido fácil de se resolver”, admitiu Mário Fernandes.

Sobre abuso sexual de menores, Mário Fernandes disse que também houve uma redução em relação ao ano passado, tendo em conta que até então registaram três casos de denúncia de abuso sexual, e seis casos de denuncia de maus-tratos físicos, número inferior ao ano transacto.

O responsável do Instituto Cabo-verdiana da Criança e do Adolescente (ICCA) no Maio considerou, no entanto, que a pandemia da covid-19 contribui “de certa forma” para o ajuntamento familiar, uma vez que muitas famílias e algumas mães deixaram a ilha e os seus filhos aos cuidados das avós, a procura de “melhores condições” de vida.

Contudo, devido à pandemia, concretizou, estão de volta e na companhia dos seus filhos, o que também contribui para o aumento de número de crianças na ilha.

Mário Fernandes disse ainda que com o estado de emergência registaram-se “algumas preocupações”, já que as crianças permaneciam muito tempo em casa, e muitas habitações não reúnem as condições para as crianças ali brincarem em casa.

“Era um tempo de as crianças permanecerem em casa e não na rua, por isso houve alguma ansiedade e procura dos serviços da psicologia aqui do ICCA , mas com a reabertura das aulas houve bastante diminuição”, concretizou.

No início, admitiu terem registado crianças a efectuarem venda ambulante, mas tendo em conta que a sociedade maienses está ciente desta infracção, como referiu, repudiou este facto e assim não houve continuidade.

“Mesmos as famílias vieram ter connosco a perguntar sobre como devem proceder e mostramos alternativas e houve um trabalho juntamente com a câmara municipal, pelo que neste momento não temos nenhuma denuncia de caso de trabalho infantil”, ressalvou.

Conforme afiançou , o gabinete do ICCA na ilha recebeu também algumas preocupações relacionadas com a presença de crianças nas praias de mar, onde ajudam os pescadores a arrastarem as suas embarcações e, em contrapartida, recém algum peixe, uma vez que neste momento não há aulas.

Esclareceu que essas crianças estão identificadas, pois frequentam o centro de acompanhamento criado para o efeito, acrescentando que os mesmo estão sendo acompanhados nos seus estudos e que de acordo com as informações obtidas essas crianças estão a ter um “bom aproveitamento” escolar.

Todavia, disse que vai estar atento a sensibilizar as famílias, visto que no Verão sempre acontecem casos de crianças a fazer vendas ambulantes de produtos alimentares.

WN/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos