Maio: Rádio é minha vida e uma forma de terapia no meu dia-a-dia – Animadora

Porto Inglês, 13 Fev (Inforpress) – A animadora da Rádio Comunitária Voz di Djarmai Janice Contina Inês disse hoje à Inforpress que encontrou na rádio uma forma de terapia, porque durante o momento em que está na antena esquece os problemas do dia-a-dia.

Em conversa com a Inforpress, no dia em se assinala o Dia Mundial da Rádio, a única animadora feminina actualmente na Rádio Comunitária Voz de Djarmai explica a sua paixão por este meio de comunicação que se tornou uma parte “muito importante” da sua vida.

Para a entrevista, a rádio comunitária local transformou-se num local de terapia, a partir da qual passa as “boas mensagens e energias positivas” aos ouvintes daquela estação emissora local.

A animadora informou que tem um espaço semanal na programação da RCVD, durante o qual passa mensagem e músicas românticas, algo que tem cativado, na sua opinião, muitos ouvintes, “muita audiência”.

No mês dedicado ao amor e amizade, a radialista disse que alargou para três vezes por semana a sua presença na rádio comunitária, uma oportunidade que lhe permite estar mais motivada e sempre na companhia dos ouvintes.

“Como sendo a única mulher da RCVD neste momento, sinto-me privilegiada por estar entre os rapazes e a marcar diferença, mas acima de tudo porque tenho muitas pessoas que me abordam, dizendo que elas abrem a rádio para acompanharem o meu programa, porque gostam, tendo em conta que trato de temas relacionados com romantismo, que é algo que toca as pessoas”, enfatizou.

Aquela animadora explica que a emissão daquela estação inicia-se logo pela manhã, às s 7:30 de manhã e prolonga-se até as 19:00, durante a qual oferecem um leque diversificado de programas, sempre tendo em conta o que é mais relevante para as pessoas.

Por esta razão, afiançou que a estação emissora encontra-se na terceira posição do ranking das rádios comunitárias mais ouvidas no país.

“É uma mais-valia para nós e motivo de satisfação e de mais responsabilidade, porque sentimo-nos que temos muita audiência”, ressalvou, manifestando o seu desejo de puderem abranger todos os povoados da ilha, algo que ainda não foi concretizado.

No entanto, acha “incrível” o facto de a emissão chegar a alguns pontos da ilha de Santiago de forma tão nítida e no Maio haver ainda pontos onde isso acontece.

À Inforpress Janice Contina Inês conta a rádio comunitária tem enfrentando algumas dificuldades financeiras para se manter no ar, mas graças ao empenho dos colaboradores e de algumas instituições estão a conseguir levar avante esta missão, realçando o papel que aquela emissora tem vindo a desempenhar nesta fase da pandemia, levando mensagens de prevenção para junto dos seus ouvintes e que, na sua opinião, tem sortido efeito.

“A rádio exige de nós para estarmos sempre actualizados com o que se passa no país e além fronteira, mas, acima de tudo, termos informações e coisas novas da nossa ilha para pudermos partilhar com os nossos ouvintes.

Por isso, estou muito grato e espero manter-me por vários anos nesta missão, a alegrar os nossos ouvintes”, finalizou.

Para assinalar o Dia da Rádio, a RCVD vai manter a programação normal, mas em cada programa vão passar a mensagem sobre esta efeméride e também ouvir a opinião dos ouvintes sobre a importância da rádio nas suas vidas.

O Dia Mundial da Rádio celebra-se anualmente a 13 de Fevereiro.A data foi escolhida, pois foi neste dia que a United Nations Radio emitiu pela primeira vez, em 1946, um programa em simultâneo para um grupo de seis países.

A data foi declarada em 2011 pela UNESCO e o primeiro Dia Mundial da Rádio foi celebrado em 2012.

WN/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos