Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Maio: Presidente do IPC diz-se “satisfeito” com andamento das obras de restauração da igreja matriz de Nossa Senhora da luz

Porto Inglês, 25 Jul (Inforpress) – O presidente do Instituto do Património Cultural, Jair Fernandes, diz-se satisfeito com o andamento das obras e garante que a igreja matriz de Nossa Senhora da Luz vai estar concluída em finais do mês de Agosto.

Ao fazer o balanço de dois dias de visita à ilha, o presidente do IPC assegurou, em declarações à Inforpress, que após o levantamento do estado de emergência, os trabalhos de restauro da Igreja matriz de Nossa Senhora da luz reiniciaram em força e a empresa executora da obra já tinha adquirido todos os materiais necessários para este tipo de intervenção, pelo que admite estar precavido a uma possível ruptura de ‘stock’ durante o andamento dos trabalhos.

Segundo afiançou Jair Fernandes, durante a execução dos trabalhos tem havido uma estreita parceria e diálogo entre os diversos parceiros intervenientes, com vista a serem respeitadas as normas previamente estabelecidas, e acrescentou que houve algumas alterações como a abertura das duas laterais durante os trabalhos, algo que foi solicitado pela paróquia local, pelo que agora a Igreja matriz vai ter mais espaço para acolher os fiéis.

Com este investimento, aquele responsável garante que o edifício, considerado símbolo da ilha, vai estar completamente restaurada “muito mais agradável e funcional” e pronto para ser entregue por ocasião da festa do município que se celebra a 08 de Setembro, respeitando todos os traços arquitectónicos da infra-estrutura.

Jair Fernandes advoga ainda que a qualidade e o cuidado com o edifício, está acima da questão do cumprimento do prazo contratual, salientando que este último é algo que amarra o Estado e a empresa construtora.

“Por exemplo, durante o andamento dos trabalhos foram encontrados estrutura ósseas no edifício e isso carece de pesquisa arqueológica profunda, o que contribui para a paralisação da obra por alguns dias”, disse Jair Fernandes.

“Durante esta nossa visita fizemos um registo de depósitos de ossos que surgiram no meio da Igreja que são enterramentos não num contexto normal, por isso a empresa fez bem em parar a obra do piso para se fazer os trabalhos de levantamento arqueológico, de modo a se fazer o registo e continuar com os trabalhos”, o presidente do IPC.

Referente a capela de Morrinho, o presidente do IPC fez saber que na referida infra-estrutura estava prevista uma intervenção simples com a retirada e colocação do tecto, mas durante os trabalhos foram aparecendo outras necessidades, tanto no edifício como no entorno, visto que fica situada numa praça, pelo que tiveram a necessidade de “interpretar e reinterpretar a execução o projecto”.

“Infelizmente durante a nossa visita constatamos que alguns elementos contratualizados não foram devidamente trabalhados, própria cobertura, o piso, daí o rigor que queremos para os edifícios patrimoniais”, disse Jair Fernandes adiantando que manteve uma discussão tensa e necessária com a empresa responsável pela execução da obra para chegarmos um entendimento e no final houve a assunção da empresa que irá fazer as devidas correcções”, disse.

Jair Fernandes garantiu ainda que a capela de Penoso vai também receber obras de requalificação mas esta intervenção vai ser possível somente para o próximo ano, em consequência do aparecimento desta pandemia.

Ainda durante a sua estada na ilha do Maio, o presidente do IPC rubricou um protocolo com a paróquia local no sentido de apoiar a reabilitação da capela da vila do Barreiro no montante de cerca de 1100 contos, além do apoio técnico que vai ser disponibilizado durante os trabalhos.

WN/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos