Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Maio: Presidente da câmara reconhece haver problema no abastecimento de água

Porto Inglês, 10 Set (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal do Maio reconheceu que tem havido problemas no abastecimento de água nos últimos dias, mas prometeu  que os maienses vão sentir a redução na factura de água a partir do final deste mês.

Segundo avançou Miguel Rosa, o problema que aconteceu recentemente com as duas dessalinizadoras poderá estar ligado “eventualmente” a uma quebra de tensão eléctrica, mas garantiu que esforços estão sendo feitos para resolver este problema “o quanto antes”, já que já se encontram na ilha técnicos vindos de Espanha para o efeito.

Um outro aspecto que aquele autarca referenciou relaciona-se com a redução da tarifa de água, algo que os maienses vão sentir a partir do final deste mês, como disse, tendo em conta a entra em vigor de uma tarifa única em todo o País, lembrando que na ilha do Maio se praticavam a tarifa de água “mais cara” a nível nacional.

Miguel Rosa lembrou ainda que toda a produção de água na ilha é feita através do processo de dessalinização, o que coloca uma “certa pressão” à empresa, uma vez que a ilha tem uma população considerável de bovinos e caprinos, salientando que com os investimentos feitos graças ao financiamento da Cooperação Luxemburguesa, “em mais de 100 mil contos”, permitiu aumentar a capacidade produtiva, bem como instalação de um parque fotovoltaico.

“O preço da água vai reduzir significativamente, se calhar uma das mais baratas do País, tendo em conta o custo do factor de produção que vai passar a ser através de energias renováveis”, frisou, lembrando que os investimentos que estão previstos para a ilha vão contribuir para que empresa venha aumentar e diversificar a sua a sua carteira de clientes.

Conforme explicou Miguel Rosa, nesta primeira fase vai-se reduzir a tarifa no escalão de consumo de zero a cinco ou seis metros/cúbicos mês, ressalvando que a partir do próximo ano haverá uma “redução significativa em todos os escalões”.

Disse que tal foi graças à “visão de longo prazo”, o que obrigou ao desmantelamento de todo equipamento que vinha produzindo água até “há bem pouco tempo”.

“Temos que reconhecer que houve algum problema na ruptura, houve também algum ruído na comunicação, mas temos de reconhecer que a empresa é nova, mas o mais importante é que tudo vai ser resolvido e dentre de breve já não se vai falar mais nesta questão”, concluiu.

WN/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos