Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Maio: População da tartaruga caretta-caretta está aumentar, mas corre ainda muitos riscos – FMB

Porto Inglês, 16 Jun (Inforpress) – A Fundação Maio Biodiversidade (FMB) regozija-se com o facto de ter havido nos últimos anos um “aumento significativo” das fêmeas da tartaruga careta-careta, mas alerta para “muitos riscos” de sobrevivência desta espécie.

A informação foi dada pelo coordenador da patrulha da campanha de protecção das tartarugas marinhas da FMB, Jairson da Veiga, que falava à Inforpress, por ocasião do Dia Mundial da Tartaruga Marinha, que se celebra hoje, 16 de Junho.

Informou que nos últimos anos, tem havido um aumento da população das fêmeas da espécie caretta-caretta, embora admita que ainda não possuem dados concretos para esse facto.

No entanto, o ambientalista disse acreditar que um dos factores pode estar ligado ao trabalho de protecção que vem sendo feito ao longo dos últimos 20 anos, que iniciou na ilha da Boa Vista com a ONG Tartaruga 2000, uma vez que se tem registado números recorde de ninhos nas praias nos últimos anos.

Conforme assegurou Jairson da Veiga, Cabo Verde vem sendo apontado como o terceiro ponto no mundo onde se regista maior nidificação da tartaruga caretta-caretta, todavia admitiu que essa posição poderá ser diferente num futuro próximo, uma vez que os dados ainda não confirmados e publicados apontam para o lugar cimeiro a nível global, mesmo apesar dos vários riscos.

“Estamos a falar de inundações cada vez mais intensas e frequentes, aumento de temperaturas nas praias, o que tem contribuído para o nascimento de mais tartarugas fêmeas, além de captura no alto mar, problemas com redes de pesca (…)”, sublinhou, enfatizando que as ilhas da Boa Vista, Maio e Sal são lugares de maior nidificação em Cabo Verde.

“Mas, caso houver algum derrame de petróleo ou algo do tipo no mar poderá levar quase que a não recuperação desta espécie, porque são ilhas não muito grandes”, advertiu o coordenador da patrulha da campanha de protecção das tartarugas marinhas.

Neste momento, segundo Jairson da Veiga, a FMB já registrou nove ninhos a poucos dias do arranque oficial da campanha de protecção das tartarugas marinhas, que perspectiva ser “boa”, ressalvando que este programa de protecção tem vindo a gerar cerca de uma centena de postos de trabalho durante quatro meses.

“Muitos turistas e voluntários viajam para Cabo Verde, a procura de conhecerem e ajudarem na protecção desta espécie e riqueza que possuímos”, observou o ambientalista, que acredita que o facto do Maio passar a ser reserva mundial da Biosfera da Unesco, vai trazer ainda mais turistas à ilha.

O coordenador da patrulha da campanha de protecção das tartarugas marinhas destacou ainda a aprovação da lei que incrimina a apanha e abate das tartarugas marinhas, o que veio ajudar as ONG neste processo de protecção a nível nacional.

Jairson da Veiga disse que a FMB registou também, “com muito agrado” o facto de várias pessoas terem manifestado interesse em fazer parte do grupo de patrulha, facto que poderá contribuir para uma “boa época”, tanto em termos de nidificação como de protecção.

WN/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos