Maio: MIM diz-se descontente com isenção de teste a passageiros oriundos da cidade da Praia

Porto Inglês, 06 Jan (Inforpress) – O Movimento Independente Maense (MIM) manifestou hoje o seu descontentamento perante a decisão do Instituto Nacional da Saúde Pública, em isentar os passageiros oriundos da cidade da Praia da realização de teste rápido de covid-19.

Em declarações hoje à Inforpress, o presidente do MIM, Nelson Ramos, assegurou que esta medida foi tomada num momento menos adequado, tento em conta que muitas pessoas da ilha do Maio vivem na cidade da Praia e por ocasião das festas de Natal e fim-de-ano, muitos são aqueles que preferiram regressar à ilha natal para junto das suas famílias.

“Nessa crise da covid-19, é a segunda vez que este Governo tomou medidas equivocadas para com a ilha do Maio. Primeiro foi aquando da crise do suposto Hub marítimo e agora a suspensão da obrigatoriedade de fazer teste rápido antes de ir para a ilha do Maio, justamente na época festiva em que há um grande fluxo de pessoas para a ilha”, asseverou.

Por isso ressalvou que sem realização de teste rápido, os mesmos poderão, mesmo sem querer, colocar em riscos as suas próprias famílias. Alegou ainda que a súbita elevação de número de casos positivos que se tem registado no Maio nestes últimos dias é consequência desta medida, sustentando que antes desta medida a situação na ilha estava relativamente controlada.

“Antes as pessoas que pretendiam deslocar-se à ilha do Maio para passarem o fim-de-semana ou mesmo os maienses que pretendiam regressar à casa, realizavam o teste e se tudo estiver certo faziam isso com toda naturalidade e sem risco. As autoridades locais também faziam tudo o que lhes competia para atrasar a chegada do vírus à ilha, mas agora todo este esforço ficou em vão, porque agora qualquer um pode viajar”, salientou.

Nelson Ramos defende que esta é hora dos maienses e acima de tudo os seus representantes políticos levantarem as suas vozes para que esta medida seja alterada, para não contribuir para o agudizar da situação na ilha.

Contudo, afiançou que a agremiação que representa está a lançar uma campanha nas redes sociais para exortar os maienses e residentes a pautarem pela prevenção respeitando as normas sanitárias para que a ilha volte à normalidade o quanto antes.

Neste sentido, Nelson Ramos mostrou-se “confiante” de que as pessoas vão continuar a fazer o que lhes cabe, tendo em conta que os maienses são respeitadores das regras.

WN/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos