Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19/Maio: Miguel Rosa considera que ilha conheceu “vários ganhos” apesar da pandemia

Porto Inglês, 14 Jan (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal do Maio considera que, apesar da pandemia, a ilha conheceu “vários ganhos” durante o primeiro mandato da nova equipa camarária, com destaque para a requalificação da cidade do Porto Inglês e arranque do projecto Maio 20/25.

Ao fazer o balanço do ano findo, Miguel Rosa destacou as intervenções na cidade de Porto Inglês que, conforme defendeu, está praticamente requalificada e com impacto na melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Na mesma linha apontou a requalificação na localidade de Alcatraz e a conclusão do centro juvenil de Morrinho, uma reivindicação antiga dos jovens e da população daquele povoado, destacando ainda o arranque do projecto Maio 20/25, que está orçada em trezentos mil contos e que conta com vários parceiros e irá contemplar a construção da casa da juventude, a reabilitação do matadouro municipal e a capacitação  e formação da juventude em várias áreas.

“Neste momento, estamos praticamente nas vésperas de assinar um outro acordo para a implementação do Centro Integrado de Tratamento de Resíduos Sólidos em que vamos também contar com os vários parceiros como a União Europeia, a cooperação portuguesa e o Instituto Camões e, ainda, estamos com outros parceiros de desenvolvimento”, sublinhou.

Lembrou ainda que a edilidade contou com financiamento da Lux Dev na implementação do parque fotovoltaico da estação de produção de água em Ponta Preta, no valor de 120 mil contos, realçando ainda uma forte parceria com o Governo central, SDTIBM, FMB, Instituto Marquês de Valle Flores e organizações locais e comunitárias da ilha, bem como a participação e colaboração dos maienses no quadro de orçamento participativo”.

Por outro lado, no quadro do projecto Maio 20/25, vão ser realizados Planos Detalhados Municipais (PDM), o que, na sua opinião, vai ao encontro do regulamento da lei dos solos que foi aprovado pela assembleia municipal, o que está a permitir a alienação de terrenos, perspectivando que “o próximo ano vai um ano em que vamos atacar fortemente a questão da habitação social com os programa de reabilitação e auto-construção”.

Para Miguel Rosa, a ilha do Maio está bem encaminhada no seu processo de desenvolvimento, frisando que neste momento só falta o investimento privado para consolidar este processo, tendo em conta que a ilha está preparada para receber investimentos “estruturantes”, que possam gerar empregos. Sublinhou que, neste momento o porto está bem encaminhado no seu processo de ampliação e modernização e que nos próximos tempos a ilha poderá também ter o seu aeroporto internacional de médio porte.

“A ilha do Maio foi também palco de um grande evento que foi o Maio Ocean Trail, o que demonstra que estamos na rota dos grandes eventos”, no entanto admitiu que o ano agrícola não foi igual em todos os povoados e, por isso, a edilidade está a desenvolver o projecto de dessalinização da água salobra e mesmo do mar com recurso a energias renováveis para disponibilizar aos agricultores da ilha, tudo isso em parceria com o Governo central e outros parceiros.

A primeira infância também mereceu atenção da edilidade, garantiu Miguel Rosa apontando como exemplo o equipamento dos jardins de infância com painel solar, ressalvando que, em articulação com o Ministério da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social, estão a trabalhar na questão da protecção dos direitos das crianças, o que defendeu esta acontecer em parceria com o gabinete do ICAA na ilha.

Aquele autarca frisou ainda que, este ano a ilha vai conhecer ganhos com a entrada em funcionamento do plano de acção, o que na sua vai trazer também várias responsabilidades, tanto à edilidade como aos maienses.

Para Miguel Rosa defendeu que o maior desafio da ilha vai ser a criação da capacidade de gerar riqueza e criar empregos endógenos para que as pessoas vivam condignamente e estancar a migração dos jovens para outras ilhas.

“Mais do que esperança temos fé que no próximo ano grandes realizações vão acontecer na nossa ilha, embora estamos ainda sob espectro da pandemia, mas espero que as coisas vão melhorar neste sentido, por isso peço aos maienses que acreditem na ilha”, conclui.

WN

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos