Maio: MAA perspectiva “grandes ganhos” para ilha com classificação como reserva mundial da Biosfera

Porto Inglês, 24 Nov (Inforpress) – A delegada do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), no Maio, afirmou hoje que a ilha conhecer nos próximos tempos “grandes ganhos” em diversos domínios, tendo em vista a sua classificação como reserva mundial da Biosfera da Unesco.

Em declarações à Inforpress, Teresa Silva assegurou que a distinção da ilha como reserva mundial vai trazer para o País e para ilha, em particular, grandes ganhos, tanto a nível ambiental, económico, cultural, visto que passará a ser mais visitada e mais conhecida a nível internacional.

Informou que brevemente vai ser criada uma equipa de consulta técnica, de gestão e científica, que integra várias instituições, nomeadamente a Câmara Municipal, a Delegação do MAA e a Direcção Nacional do Ambiente, bem como as universidades existentes em Cabo Verde.

A responsável lembrou, por outro lado, que recentemente foi criado o plano de gestão das áreas protegidas e em cada área está delineado o que vai ser feito especificamente.

Segundo disse, muitas vezes as pessoas possam pensar que com esta distinção só vai haver restrições em termos de conservação, mas desmistificou, informando que também vai ser possível fazer uso das riquezas existentes na ilha, de forma sustentável.

Teresa Silva fez saber, por outro lado, que durante a elaboração deste processo, que foi submetido à Unesco, foi criado um plano para as zonas núcleo, tampão e de transição e para cada um existe um procedimento que deve ser respeitado.

O próximo passo a ser seguido, brevemente, segundo a delegada do MAA, é o plano de acção a ser implementado nos próximos seis anos, no qual vão constar as estratégias a serem seguidas neste período, e no seu término vai ser alvo de avaliação.

Questionado se os maienses já conhecem o significado desta distinção e a sua importância para ilha, Teresa Silva afiançou que durante o processo de recolha de subsídios para submeterem o processo à Unesco, englobaram todas as associações comunitárias e ONG sediadas na ilha, pelo que nos próximos meses vai ser feito um plano de acção mais elaborado em termos de comunicação informação, por forma a dar a conhecer as pessoas as acções a serem implementadas.

Explicou que o plano de divulgação vai começar pelas escolas de ensino básico e secundário salientando que foi elaborado alguns folhetos informativos neste sentido e que a mesma vai ser alargada para as comunidades, por forma a sensibilizar as pessoas para a necessidade da protecção e conservação do ecossistema existente, para que haja um desenvolvimento sustentável.

WN/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos