Maio: Jovens defendem mais divulgação sobre distinção da ilha como reserva mundial da Biosfera da Unesco

Porto Inglês, 03 Dez (Inforpress) – Os jovens maienses defenderam hoje que é preciso a criação de um plano de comunicação para divulgação da ilha como reserva mundial da Biosfera e as vantagens em termos de conservação e económico que isso pode trazer.

Em conversa com a Inforpress, o jovem maiense Eleutério Tavares Cardoso defendeu que esta distinção só engrandece a ilha e torná-la numa referência a nível internacional em termos de conservação da sua biodiversidade, por isso alega que é preciso mais acção de formação e informação junto da população e dos jovens em particular para que possam conhecer melhor os meandros deste processo.

Para aquele jovem, a maioria dos maienses desconhece por completo o significado desta distinção quanto mais as vantagens e possíveis restrições que esta distinção poderá implicar na gestão dos recursos endógenos da ilha, pelo que voltou a argumentar que deve ser elaborado um plano de comunicação e informação junto das comunidades para levar as informações necessárias para que as pessoas possam conhecer melhor.

A mesma fonte é de opinião que as autoridades locais e nacionais devem englobar os jovens neste processo, dando-lhes mais formação direccionada a guia turístico, protecção e conservação do ecossistema e também a projectos relacionados com o ecoturismo, algo que considerou ser “fundamental” para o desenvolvimento harmonioso da ilha, sem descartar também investimento privado em outros segmentos do turismo.

“É fundamental que a partir de agora seja dado mais atenção à formação dos jovens em termos de guia turístico e ambiental para terem melhor conhecimento da realidade da ilha e com isso conseguirem passar melhores informações aos visitantes sobre a riqueza ambiental da ilha e também da necessidade da sua protecção”, salientou, acrescentando que já tem um projecto para o sector do ecoturismo e que está a procura de financiamento.

Por seu lado, o jovem Ivanio dos Reis Monteiro comunga da mesma opinião de que a ilha passará a ser cada vez mais divulgada a nível internacional, o que na sua opinião vai contribuir para que haja mais projectos e financiamentos para a parte de conservação, e com isso também promover a ilha como um destino turístico de qualidade e direccionado para a questão ambiental.

Aquele jovem vê com boas expectativas o fomento do ecoturismo na ilha, o que vai possibilitar que muitas famílias tirem benefício por exemplo das casas de acolhimento de turistas, porém defendeu ser necessário uma política formativa a nível de formação profissional tanto na parte de guias turísticos, línguas e culinária, um pouco baseado na realidade gastronómica da ilha.

Ivanio Monteiro disse ainda que a maioria das pessoas na ilha ainda desconhece o significado e a importância da ilha ser reconhecida como reserva da Biosfera da Unesco, lembrando que “as que estão melhor informadas sobre este assunto são as que acompanham as redes sociais”, pelo que defende um plano de comunicação mais direccionado a informar as pessoas.

Também apontou que o sistema educativo deve levar isso em conta para colocar  no currículo dos alunos, principalmente da ilha, para que as crianças e jovens de hoje, venham a ser o guardião do ecossistema da ilha num futuro próximo, visto que alega ser uma vantagem, mas também uma responsabilidade para todos os maienses conservar e aproveitar das riquezas existentes, sempre de forma sustentável.

WN/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos