Maio: Festeiros da festa de Santa Cruz apelam à criação de uma casa da Tabanca na ilha

 

Porto Inglês, 04 Mai (Inforpress) – Os Festeiros da festa de Santa Cruz na ilha do Maio, apelam às autoridades local e central para a criação de uma casa da Tabanca (Tabanka), por forma a dignificar a mais antiga manifestação cultural da ilha.

O repto foi lançado hoje pelo representante da tabanca da ilha do Maio, Luís Freire, que, conforme defendeu, é “algo urgente” para dignificar esta manifestação cultural e ao mesmo tempo ser um espaço de exposição do espólio e utensílios que são usados durante esta festa.

“Para além disso, deve ser o lugar onde se festeja a festa de Santa Cruz todos os anos e com isso libertar os juízes da festa, que ao longo desses anos têm vindo a abrir as suas casas para todos”, acrescentou.

O deputado nacional Fernando Frederico também vai na mesma linha, exortando a edilidade local para que dê “mais atenção” e pede “melhor engajamento” a esta manifestação cultural, a mais antiga da ilha, no sentido de torna-la num “grande produto turístico” local.

“Por ser uma manifestação cultural mais antiga da ilha precisa de ter um engajamento, tanto da autoridade local como central, no sentido de valoriza-la e apoiar nas questões de fardamento e na aquisição de equipamentos sonoros, por forma a termos uma festa ainda mais organizada e leva-la a ser um bom produto turístico para a ilha”, notou.

Confrontado com esta reivindicação, o vereador da cultura da Câmara Municipal do Maio, Queita Santos, garantiu que esta também é uma preocupação da edilidade maiense que tem estado a fazer as suas diligências, no sentido de valorizar e promover esta manifestação cultural como um produto turístico.

“A valorização da tabanca está na alçada do Instituto do Património Cultural na vertente património imaterial e uma delegação desta instituição deslocar-se-á à ilha no final deste mês para fazer inventariação e também tentar perceber o que se pode recolher de subsídios em relação à morna e São João, e também a tabanca será uma aposta forte de uma semana de estadia desta delegação”, fez saber.

No que tange à criação da casa da Tabanca, Queita Santos disse que a edilidade também partilha esta ambição e vai mais longe dizendo que o sonho é ter num futuro próximo um museu da Tabanca. “Temos toda a abertura e vamos fazer tudo o que está ao nosso alcance para conseguir isso, sobretudo junto do Ministério da Cultura”, asseverou.

Queita Santos fez ainda um balanço “positivo” da festa de Santa Cruz e prometeu para o próximo ano mais engajamento da autarquia maiense. Aproveitou ainda para manifestar a sua satisfação em relação à participação na festa do grupo da tabanca que veio de Pedra, o que, na sua opinião, é “bom sinal” para o recomeço da ligação existente entre estes dois municípios, que recentemente celebraram um protocolo de geminação.

WN/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos