Maio: Escassez de água desencoraja candidatura ao programa de subvenção para rega gota-a-gota – agricultor

Porto Inglês, 12 Fev (Inforpress) – Os agricultores maienses consideram “boa” a iniciativa do Governo em criar o programa de subvenção para a instalação do sistema de rega gota-a-gota, mas a escassez de água desencoraja-os a se candidatarem.

Em conversa com a Inforpress, o agricultor Jerónimo Silva Ribeiro disse já ter preenchido os formulários e agora está a aguardar por uma resposta, todavia salientou que isso deveria ser implementado um pouco mais cedo.

“Seria melhor para nós se fosse implementado em Outubro, altura em que tínhamos mais água disponível no poço. A quantidade diminui significativamente, de todo modo, já inscrevemos e agora resta esperar pela decisão”, notou.

O agricultor lembrou que o perímetro agrícola da ribeira de Tambarina é considerado o celeiro da ilha, pelo que seria de bom-tom levar avante o “tão prometido” furo de prospecção, com vista a disponibilizar mais água para rega.

Jerónimo Ribeiro considera que o desassoreamento dos diques ali existentes como sendo uma das medidas para aumentar a retenção da água das chuvas, mas admite que seria melhor construir também outros diques de maior porte, com vista a reter mais água por ocasião das chuvas.

Por seu lado, Ineuse Ribeiro, também agricultor, disse a Inforpress que esta medida vai possibilitar a todos aqueles que pretendem obter ou melhorar o seu sistema de rega localizada, pelo considera-a ser “boa”. No entanto, alega que a quantidade de água nos poços constitui um dos maiores motivos de desencorajamento de vários colegas.

“Acho que o Governo deveria apostar também em mobilizar mais água para agricultura, porque como se sabe Maio foi a primeira ilha escolhida para ser implementado o projecto de dessalinização de águas salobras para agricultura, mas até então estamos a espera e nós precisamos é de mais água para podermos trabalhar”, lembrou.

Apesar do “bom relacionamento” com a Delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente no Maio, Ineuse Ribeiro defende que a classe precisa de mais apoio e atenção por parte do governo central.

A este propósito referiu-se a construção de diques de maior porte, visto que os existentes, segundo ele, já não servem, porque estão totalmente “engolidos” pelas terras das enchentes.

WN/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos