Maio: Dani Moniz disponível na corrida à liderança da Comissão Política Regional do PAICV local

Porto Inglês, 21 Nov (Inforpress) – O jovem maiense Dani Moniz disse hoje à Inforpress que está disponível para apresentar a sua candidatura à eleição de 15 de Dezembro, que vai escolher o novo coordenador político regional do PAICV na ilha do Maio.

Em conversa com a Inforpress, o já candidato ao escrutínio local do PAICV explicou que decidiu entrar nesta corrida para dar continuidade ao trabalho que vem sendo desenvolvendo em prol do fortalecimento do partido na ilha do Maio, assim como lutar para que haja melhoria das condições de dos maiense, principalmente a camada jovem.

Segundo avançou aquele jovem político, a sua equipa está empenhada em trazer uma nova forma de abordagem, com introdução de políticas direccionadas para questões sociais e públicas “que beneficiem as pessoas, e que conduzam na construção de uma sociedade em que impere a justiça, a democracia, a liberdade e a solidariedade”.

“Uma sociedade inclusiva e de oportunidades para todos”, vincou.

Dani Moniz advogou ainda que “neste momento de viragem política é fundamental que “inovemos e reestruturemos minimamente o PAICV na ilha do Maio, fortalecendo-o e dinamizando-o para que possa efectivamente cumprir o seu papel”.

Prometeu ainda introduzir melhorias substanciais no funcionamento daquela força política na ilha, reforçando o partido como uma escola de formação política, ideológica e de cidadania.

“Continuaremos com o firme propósito da criação, em cada zona, das organizações de base, como espaços de reflexão, criatividade e de participação de outras pessoas”, reforçou, prometendo também trabalhar em sintonia com as outras estruturas do partido na ilha, nomeadamente a JPAI, e a FMPAICV, que merecerão um tratamento especial por parte da sua equipa.

Devido ao facto da ilha ter uma população maioritariamente jovem, Dani Moniz fez saber que a sua equipa vai dar uma atenção especial a esta camada, optando pela aproximação às escolas, universidades, associações juvenis, bem como desportivas e culturais.

Além disso, apontou a presença nas redes sociais como sendo uma forma de divulgar as suas acções e recolher sugestões dos militantes.

Dani Moniz indicou ainda como prioritário as áreas da educação e formação, não esquecendo os sectores da cultura e do desporto, porque, conforme argumentou, a ilha tem um grande “potencial” em termos desportivos e culturais, pelo que a aposta deve ser nestas áreas, de modo a conseguir a aceitação no seio das organizações juvenis da sociedade civil.

Solidariedade, acção social e cultura da paz, foram também apontadas por aquele candidato como áreas que vão merecer atenção da sua equipa, visando a capacitação de jovens líderes e dirigentes associativos, particularmente os que estão integrados em associações de base comunitária e de desenvolvimento, nos domínios de elaboração, gestão e avaliação de projectos, bem como gestão de conflitos.

WN/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos