Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Covid-19/Maio: Passageiros em quarentena domiciliar garantem que saíram da Boa Vista antes do registo do primeiro caso

Porto Inglês, 23 Mar (Inforpress) – Os passageiros que regressaram ao Maio, provenientes da ilha da Boavista e que se encontram de quarentena, afirmaram hoje à Inforpress que saíram daquela ilha antes do registo do primeiro caso da coronavírus e pedem contenção.

Em conversa com a nossa reportagem, Paulinho Martins, um dos passageiros que regressou à ilha no passado dia 19 deste mês, via aérea e acompanhado da sua esposa e filha, assegurou estar desapontado com toda a desinformação criada em relação as suas vindas, visto que tanto ele como os seus dois colegas chegaram à ilha, numa altura que ainda não se tinha registado nenhum caso de coronavírus no país.

Explicou que estão sendo acusados, na praça pública, com sendo um dos que fugiram da ilha da Boavista em embarcação de boca aberta para ilha do Maio e que são possíveis portadores desta doença.

Paulinho Martins reafirmou a não ser verdade os boatos que circulam na ilha do Maio, indicando autoridades e mesmo os condutores como testemunhas de que chegaram no voo dos transportes Inter-ilhas de Cabo Verde.

“Eu já tinha o bilhete comprado, para mim e minha família, para regressar ao Maio no dia 19 de Março, porque este ano foi determinado que a festa de São José viria ser comemorada a 22 de Março, e chegamos na quinta-feira. Por isso, não entendo todo esse alarido e até não faz cabimento arriscar em trazer a minha esposa e a nossa filha que ainda é bebé num bote”, desabafou.

Paulinho Martins disse regressar à ilha de consciência tranquila e até “inocente” do que aconteceu, mas salientou estar desapontado com a forma como ele e os seus companheiros estão a ser tratados nas redes sociais, informando que as autoridades, tanto o delegado de Saúde como comandante da Policia local, já os contactaram, apelando para se manterem em casa, algo que garantiu estarem a cumprir com toda a normalidade.

Lembrou ainda que no voo de regresso à ilha, encontravam-se passageiros da sua localidade que vieram da Inglaterra e de outros países de Europa, mas que ninguém se preocupou com isto, mesmo sabendo que nestes países também estão acontecer infecções todos os dias.

Contactado pela Inforpress, o comandante da Esquadra Policial do Maio, Domingos Rodrigues , afiançou que lhes formam informados que estas pessoas chegaram nos últimos dias, e que foram abordadas no sentido de ficarem em casa, para evitar contactos com os demais, durante duas semanas.

De todo modo, garantiu que muitas pessoas estão a criar alarmismos sem terem provas concretas

Neste particular, apelou aos maienses para terem mais cautela nestes tipos de abordagem.

No entanto, aproveitou a ocasião para exortar às pessoas para estarem atentas e de contactar a Esquadra em caso de registarem algum caso anormal.

Referente ao caso do casal de turistas franceses que aportaram a ilha na noite de sexta-feira e que se encontra em quarentena na referida embarcação, no porto de Bixi Rocha, Domingos Rodrigues afirmou que todas as diligências estão sendo feitas e que os mesmos estão a colaborar, por isso alegou não existir razão para muita preocupação, porque a Polícia continuará a manter a vigia tanto neste caso como nas costas marítimas da ilha.

WN/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos