Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Maio: Condutores reclamam da falta de sinalização rodoviária na cidade do Porto Inglês

Porto Inglês, 31 Jan (Inforpress) – Os condutores maienses dizem estar descontentes com a falta de sinalização rodoviária na cidade do Porto Inglês, algo que consideram ser do conhecimento da Policia Nacional, que mesmo assim vem aplicando multa aos condutores.

Em conversa com a Inforpress, Benvindo Reis, proprietário e condutor profissional e que diariamente transporta clientes na sua maioria turistas, assegurou que a sinalização, um pouco por toda ilha, é deficitária, mas com mais impacto na cidade do Porto Inglês, onde existe maior tráfego rodoviário, mas que está menos servida em termos destes equipamentos de informação rodoviária.

Conforme explicou aquele condutor, o problema é mais complicado ainda para aqueles que visitam a ilha, visto que desconhecem esta realidade.

Explicou que na quarta-feira “um estrangeiro que vive na ilha foi multado pelos agentes policiais no valor de 10 mil escudos”, junto aos Correios, porque as autoridades policiais entenderam que o indivíduo “estava mal parado”, enquanto “ali não existe nenhuma placa informativa quanto a isso”.

Benvindo dos Reis acrescentou ainda que as quebra-molas, que estão sendo implementadas em algumas estradas são bem-vindas, visto que há muito tempo se justificava essa medida, mas admitiu que carecem placas informativas, uma vez que são “colocadas de um dia para outro”.

Segundo apontou, esta introdução pode ser motivo de desconhecimento por parte de um condutor que realiza a sua viagem diariamente entre os diversos povoados, quanto mais para os que desconhecem a realidade da ilha.

O motorista afirmou “isso já é complicado para um condutor local”, pior ainda será para “uma pessoa que visita a ilha pela primeira vez ou que de vez em quando vem aqui”.

Uma outra preocupação levantada por aquele condutor tem a ver com a falta de regulamentação aos ciclistas e outros que utilizam as motas de baixa cilindrada, mas que diariamente deambulam na cidade e que no entanto não respeitam as regras de trânsito, pelo que defendeu ser necessária uma formação de pequena duração destinada a estes proprietários.

Por seu lado, Alan Ricci, que é um investidor turístico na ilha e que também presta serviço de aluguer de moto, disse que é urgente o reforço de sinalização rodoviária em toda ilha, porque, conforme explicou, muitos dos seus clientes reclamam da falta desta informação e que outros até já foram autuados por esta situação.

Aquele investidor apontou ainda a falta de placa informativa quanto à distância entre as diferentes zonas, assim como o limite de velocidade permitida para se descolar entre as diferentes localidades, o que, na sua opinião “é como que não existe uma lei e que cada um pode fazer como bem entender”.

Referente a quebra-molas, defendeu que é uma boa medida, mas advogou que é preciso a colocação das placas informativas tanto vertical como horizontal, de modo a que os condutores possam saber dessa existência.

Uma outra questão levantada por aquele operador turístico tem a ver com o problema de buracos nas estradas, principalmente na cidade de Porto Inglês e questiona o seguinte; “se nós pagamos oito escudos por litro de combustível para manutenção de estrada, para onde está a ir este dinheiro?”.

WN/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos