Maio: Casal alega perseguição de homem supostamente com perturbação mental e pede intervenção das autoridades

Porto Inglês, 02 Dez (Inforpress) – Um casal de professores residente na vila da Calheta alega estar a ser vítimas de perseguição na sua própria residência por parte de um indivíduo que alegadamente sofre perturbação mental e pede “intervenção urgente” das autoridades.

Analisa Monteiro, professora de profissão, procurou hoje a Inforpress para expressar a sua “indignação e preocupação” perante o ataque que ela e sua família têm vindo a ser alvo nestes últimos meses.

Tanto ela como a sua família “corre risco de vida”, continuou, tendo em conta que o referido indivíduo está “constantemente a arremessar pedras” para dentro da sua casa e para a casa da mãe.

“Ele está a agredir-nos constantemente com pedras e pau e o meu marido, que neste momento se encontra adoentado, não consegue fazer nada e eu não queria deixá-lo com os meus dois filhos em casa, mas tenho que fazê-lo, porque preciso trabalhar, mas hoje precisamente no momento de ir para escola ele veio com pedras e arremessou para dentro da casa”, denunciou.

Aquela moradora do bairro de Ribinha, na vila da Calheta, disse que estes dias têm sido “insuportáveis” e que não consegue viver desta forma e “com medo” de acontecer “algo de pior”.

Por isso, declarou que já apresentou queixa na Esquadra Policial e que recebeu “a garantia” de que o processo será encaminhado para o tribunal.

Reiterou, por fim, que tal situação ocorre “há vários meses” que os seus pais também já foram atacados na rua pelo mesmo indivíduo, que por sinal é um familiar, por pede “apoio urgente” tanto dos vizinhos como das pessoas daquela vila, “acima de tudo” das autoridades locais, como Delegacia de Saúde, Esquadra Policial e mesmo o Tribunal Comarca, porque já não consegue sentir-se segura dentro da sua própria casa.

WN/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos