Maio: Bancadas municipais com leituras diferentes sobre estado de desenvolvimento da ilha

Porto Inglês, 08 Set (Inforpress) – Os líderes das duas bancadas municipais do MpD (poder) e PAICV (oposição) expressaram quarta-feira, 07, posições contrárias quanto ao estado de desenvolvimento da ilha do Maio, que comemora a sua festa do município e da santa padroeira.

Durante a sessão solene que marcou o dia, o deputado Jovino Gomes, em representação do PAICV, oposição na Assembleia Municipal do Maio, abordou questões internas que têm vindo a “perigar o desenvolvimento” da ilha, entre elas a conclusão dos dois campos relvados de treino nas vilas de Barreiro e Calheta, que se iniciaram no mandato anterior, mas que até a data não foram concluídas.

Apontou, igualmente, a obra de rede de esgoto nas vilas da Calheta e do Barreiro, que
“há mais de oito anos” vem sendo prometida aos moradores daquelas urbes, assim como a Unidade Sanitária de Base (USB) de Pilão Cão, que aguarda a sua conclusão, e questionou para quando a construção do aterro sanitário, uma vez que a lixeira municipal tem constituído “um atentado” ao ambiente e à saúde pública.

Jovino Gomes frisou, por outro lado, que os recurso naturais da ilha vem sendo preteridos e esquecidos, o que na sua opinião poderiam estar a contribuir para gerar emprego para os jovens que “ano após ano” vêem saindo da ilha a procura de trabalho em outros pontos do país, apontando como exemplo a pesca, a agricultura, a produção de cal e gesso e a pecuária.

“Poderíamos estar a aproveitar da água dessalinizada para agricultura, melhoria da captura dos produtos do mar, além da utilização da técnica de transformação do lixo que são lançadas nas ladeiras, ribanceiras e encostas da ilha”, precisou, enfatizando que é preciso transformar o centro de formação profissional num “autêntico espaço de formação” para os jovens da ilha, que saem da ilha “por falta de opção”.

A qualidade da rede móvel, segundo aquele eleito municipal, vem dificultando o acesso à Internet, tanto para a população local, como para os que visitam a ilha, do mesmo modo apontou a demora na conclusão das obras da Avenida Amílcar Cabral.

Por seu lado, o líder da bancada do MpD na Assembleia Municipal do Maio, Zacarias Freire, destacou que a ilha tem vindo a conhecer “ganhos em diversos níveis” ao longo dos últimos anos, que a oposição “pura e simplesmente tem vindo a ignorar”, não obstante as crises que o País e o mundo está a enfrentar.

“A oposição de pé juntos nega tudo, mas em democracia a oposição é tão importante como o poder, por isso precisamos de uma boa oposição, aliás a ilha precisa de uma oposição à altura dos desafios”, advertiu o Zacarias Freire.

Argumentou, por outro lado, que a ilha do Maio tem feito um “caminho positivo” ao sair do leque das ilhas e municípios “anónimos” para passar a ocupar “uma posição de destaque” a nível nacional.

A mesma fonte considerou ainda que houve “aposta e crescimento em todos os sectores sociais” na ilha do Maio, do desporto à cultura, bem como na juventude e recriação, para que os jovens possam ter acesso  aos meio para competirem de igual modo com os das restantes ilhas.

Zacarias Freire lembrou que as obras da requalificação da Avenida Amílcar Cabral encontram-se na recta final, por isso desafiou a Câmara Municipal do Maio para a sua “mais rápida conclusão e inauguração” para a “felicidade de todos os municípios”.

A mesma fonte considerou ainda que a requalificação urbana e ambiental tem vindo a ser “uma bandeira” da actual equipa camarária, com impacto em todos os povoados, vilas e mesmo na cidade do Porto Inglês.

Sublinhou ainda que inauguração do porto do Maio, bem como o inicio do projecto Little Africa Maio vai “catapultar o desenvolvimento da ilha em todos os aspectos”, sem no entanto frisar o impacto do investimento feito no sector da produção da água dessalinizada, com utilização a cem por cento de energias renováveis na unidade de produção de Ponta Preta.

WN/AA

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos