MAI e Sistema das Nacionais Unidas reforçam parceria em gestão prevenção e recuperação  de desastres naturais

Cidade da Praia, 13 Nov (Inforpress) – O Ministério da Administração Interna e o Sistema das Nações Unidas assinaram hoje um documento que visa gerir e reforçar os processos e as capacidades de prevenção e recuperação de desastres naturais de forma sustentável e inclusiva.

O documento, denominado Projeto “Building Capaciteis for Recovery – Fase II”, foi rubricado, na Cidade da Praia, pelo ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, e pela coordenadora residente das Nações Unidas em Cabo Verde, Ana Patrícia Graça.

Para Ana Patrícia Graça, os desastres naturais e as alterações climáticas têm vindo a aumentar, destruindo vidas, comunidades e habitats afectando os países em toda a parte do mundo.

Lembrou, por outro lado, que em Cabo Verde não está fora dessa realidade, isto porque, ajuntou,  foi recentemente afectado pela erupção vulcânica na ilha do Fogo.

Na área da prevenção de redução de riscos de desastres naturais disse, considerou que se tornam cada vez mais importante a implementação de estratégias globais, visando aumentar a resiliência dos países perante os riscos de desastres.

“Em 2015 e 2017, foi implementado o projecto de preparação para a recuperação resiliente fase 1 que teve como objectivo reforçar as capacidades nacionais para gerir melhor processos de recuperação de desastres”, disse, afirmando que a segunda fase foi preparada para apoiar o Governo de Cabo Verde a continuar a dar respostas adequadas aos desastres naturais e contou com o apoio da cooperação luxemburguesa no valor de 300 mil euros.

Segundo explicou, o referido projecto enquadra-se no âmbito da parceria entre as Nações Unidas e o Governo e tem como finalidade de igual modo dar resposta às prioridades do plano estratégico de desenvolvimento resiliente e sustentável e na preservação do ambiente.

Por seu turno, o ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, regozijou-se com a concretização do lançamento da segunda fase do Projeto “Building Capaciteis for Recovery – Fase II”, tendo na ocasião salientado que o referido documento irá dar sequencia, consolidar e implementar uma série de desafios que são colocados a Cabo Verde relativamente às questões de desastres naturais.

“A gestão resiliente, gestão da resposta e gestão do processo de recuperação de riscos de desastres naturais são o desafio maior que temos, e que se coloca a vários níveis”, disse o governante, afiançando Cabo Verde, enquanto país arquipelágico, vulcânico, irá continuar  a dar  resposta a esses desafios.

A segunda fase do projecto assenta sobre dois grandes desafios, nomeadamente, o de desenvolver mecanismos com vista a preparação do poder central e local para que as futuras situações de recuperação sejam planeadas de forma eficaz ,sustentável e inclusiva e o de reforçar as capacidades e sistemas de gestão e planeamento de recuperação.

Associados aos objectivos do Projeto “Building Capaciteis for Recovery – Fase II” serão levadas a cabo uma série de actividades, envolvendo parceiros nacionais e internacionais, com o intuito de fortalecer a governação em matéria de redução de riscos de desastres e reconstruir melhor as situações pós desastres.

CM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos