Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Mães do projecto “Nos Kaza” recebem máquina de costura para criarem o seu próprio emprego (c/áudio)

Cidade da Praia 10 Dez (Inforpress) – Doze mães e chefes de família de crianças e adolescentes do projecto “Nos Kaza” do Instituto Cabo-verdiano da criança e do Adolescentes (ICCA) receberam hoje uma máquina de costura que vai apoia-las na criação do próprio emprego.

A entrega foi feita pelo secretário de Estado para Inovação e Formação Profissional, Pedro Lopes, numa cerimónia que contou com a presença dos parceiros deste projecto de “Apoio à Inserção”, nomeadamente o projecto “Nos Kaza”, Fundação Donana, Direcção-Geral do Emprego e da Formação e Confecções Alves Monteiro.

Antes de serem beneficiadas com este kit de inserção, composto por uma máquina de costura profissional, essas mães passaram por uma formação de três meses na empresa Confecções Alves Monteiro, na Cidade da Praia.

Para a jovem mãe Rosiana de Brito, esta máquina de costura vai “garantir o seu futuro” e a da sua família, porque a partir dali poderá obter o ganha-pão para sustentar a sua família.

Esta diz estar grata, não só por ter sido beneficiada, mas também pelo apoio que recebeu dos funcionários da CAM, que durante a formação transmitiu-lhe conhecimento e técnicas para que hoje possa estar apta para entrar nesta empresa ou senão para ser dona do seu negócio.

Segundo a presidente da Fundação Donana, Ana Hopfeer Almada, este projecto começou com donativo de cesta básica para essas mães, mas depois resolveram engajar vários parceiros com vista a capacitar essas mulheres e poderem ter uma actividade geradora de rendimento.

“Nos achamos que devemos dar cana para pescar e não dar peixe. Quando se tem cana pesca-se sempre e temos sempre peixe, portanto, estamos todos de parabéns e estou emocionada porque vejo em cada uma das senhoras o rosto das crianças que agora irão ter melhores oportunidades de vida e melhores condições de vida”, regozijou-se.

Por sua vez, a representante da CAM, Jael Monteiro, disse que as formandas saem hoje com uma profissão que lhes permitirá trabalhar na sua empresa ou por conta própria, sendo que estão a levar uma máquina industrial que faz todos os tipos de pontos e que permitirá que elas executem todo e qualquer tipo de tarefa relacionada a costura doméstica ou industrial.

A directora-geral do Emprego, Formação Profissional e Estágios Profissionais de Cabo Verde, Jaqueline Moniz, afirmou que com esta iniciativa estão a dar a essas mulheres “uma arma” para lutarem e transformem as suas vidas e permitir assim que tenham uma vida “digna e justa”, favorecendo a autonomia financeira das suas famílias.

AM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos