Macau emite alerta de tempestade tropical, o segundo em 11 dias

Macau, China, 22 Out (Inforpress) – Os Serviços Meteorológicos e Geofísicos de Macau (SMG) emitiram hoje um alerta de tempestade tropical, o segundo em 11 dias.

As autoridades de Macau indicaram que o sinal número 1 foi emitido no momento em que o tufão Saudel está a 590 quilómetros de Macau.

“O tufão Saudel localizado na parte norte do Mar do Sul da China continua a mover-se para nor-noroeste. Prevê-se que amanhã, o tufão cruze o ponto mais próximo do território, a cerca de 450 quilómetros de Macau. Ao mesmo tempo, o tempo na região está a ser afetado por uma monção de nordeste. Espera-se que o vento norte se intensifique, o tempo seja relativamente fresco, havendo dispersos períodos de chuva fraca”, detalhou o SMG.

A escala de alerta de tempestades tropicais é formada pelos sinais 1, 3, 8, 9 e 10, que são emitidos tendo em conta a proximidade da tempestade e a intensidade dos ventos.

Entre a madrugada e a manhã de sexta-feira é “moderada a relativamente alta” a possibilidade de o nível de alerta subir para o nível 3, acrescentaram.

Para este ano, as autoridades de Macau disseram prever quatro a seis tempestades tropicais no território em 2020, algumas delas podendo mesmo “atingir o nível de tufão severo ou super tufão”.

Há 11 dias, Macau emitiu um alerta de tempestade tropical de sinal 8 e o território entrou em estado de prevenção imediata, com as escolas a suspenderem as aulas.

A passagem do tufão Nangka obrigou à suspensão e cancelamento de voos no Aeroporto Internacional de Macau e as autoridades deram conta de 11 pequenos incidentes sem gravidade desde que foi emitido o sinal 8.

Chegaram a estar 23 pessoas nos quatros centros de acolhimento de emergência.

Desde 2017, dois tufões obrigaram as autoridades a emitir o alerta máximo. Em Setembro de 2018, a passagem do tufão Mangkhut por Macau deixou prejuízos económicos directos e indirectos no valor de 1,74 mil milhões de patacas (180 milhões de euros).

O Mangkhut provocou 40 feridos e inundações graves no território, onde o sinal máximo de tempestade tropical esteve içado várias horas. Ao todo, as autoridades retiraram 5.650 cidadãos das zonas baixas e 1.346 pessoas recorreram a centros de abrigo de emergência.

Um ano antes, o tufão Hato (posteriormente denominado de Yamaneko pelas autoridades locais), apesar de se caracterizar pela mesma intensidade do Mangkhut, causou 10 mortos, 240 feridos e prejuízos avaliados em 12,55 mil milhões de patacas (1,32 mil milhões de euros).

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos