Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

MAA vai debater com parceiros a criação do fundo sectorial para água e saneamento

Cidade da Praia, 13 Mar (Inforpress) – O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) pretende realizar no final de Abril uma mesa redonda para debater com os parceiros nacionais e internacionais a criação e instalação do fundo sectorial para água e saneamento.

O anúncio foi feito pelo ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, em declarações à Inforpress antes de partir para os Estados Unidos, para uma visita de trabalho de três dias.

A visita vai servir para Gilberto Silva e delegação que o acompanha expor a visão estratégica do Governo para sector da água e saneamento, que tem como uma das prioridades, a estruturação do referido fundo.

Segundo o ministro, é neste sentido que vai aproveitar para convidar as várias instituições que vai visitar para participar nesta mesa redonda sobre estruturação do fundo sectorial da água e saneamento, na Cidade da Praia, cujos trabalhos estão “bem avançados”.

“Estamos a pensar organizar essa mesa redonda no final de Abril deste ano”, avançou, entendendo que consolidar as reformas para a melhoria da prestação de serviços de água e saneamento no país, implica, necessariamente, mobilizar e aproveitar bem os recursos financeiros, através de uma boa gestão.

De acordo com Gilberto Silva, é neste quadro que surge a ideia de estruturação do fundo sectorial que vai ter os seus procedimentos próprios e que visa mobilizar os recursos dos parceiros, a favor do sector da água e saneamento, em que o país vai precisar de 70 mil milhões de escudos para resolver os problemas do sector nos próximos 20 anos.

“Estamos a estruturar o fundo, vamos aprovar toda uma legislação atinente ao funcionamento do mesmo e estamos a contar com os recursos dos nossos parceiros principais em matéria de água e saneamento, por isso que não faz sentido fazer tudo isso sem que tenhamos um diálogo franco com esses parceiros”, considerou.

A mesa redonda, conforme o governante, vai servir para Cabo Verde apresentar toda a concepção do fundo, os procedimentos que conta implementar, mas também ouvir a opinião e a experiência desses parceiros e “mobiliza-los para esta causa”, sendo que a previsão para a instalação deste fundo é ainda este ano.

Dos Estados Unidos, o país quer contar com a parceria de instituições como Millennium Challenge Corporation (MCC), o Banco Mundial, especialmente no que concerne ao Fundo para as Parcerias Público-Privadas em infra-estruturas, o Banco Inter-Americano de Desenvolvimento, entre outras.

Neste momento, a Cooperação Luxemburguesa já disponibilizou 4,5 milhões de euros (cerca de 495 milhões de escudos) para alimentação do referido fundo que vai tomar como experiência de implementação, o Fundo de Água e Saneamento (FASA)como mecanismo de financiamento de infra-estruturas do sector, criado noâmbito do Projecto Água, Saneamento e Higiene do Millennium Challenge Account – Cabo Verde II (MCA-CV II).

No sector da água e saneamento, o país tem várias necessidades de investimentos já identificadas, nomeadamente o aumento da produção e da mobilização da água e a sua distribuição, a melhoria de serviços e a criação de infra-estruturas, de acordo com o ministro, para quem um país que tem o turismo como um dos seus principais pilares de desenvolvimento económico “tem de equacionar o problema da água”.

Este equacionamento deve ser, não só para o consumo humano, mas também para a indústria, mas para a economia do modo geral, incluindo a agricultura, apostando numa boa governança no sector da água, implementar as melhores práticas e fazer investimentos necessários.

DR/CP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos