Luxemburgo doa viaturas e materiais militares a Cabo Verde – “Este gesto vai ficar para história” – ministro (c/áudio)

Mindelo, 01 Fev (Inforpress) – O Governo de Luxemburgo entregou hoje, no Mindelo, quatro viaturas e vários materiais militares à Guarda Costeira de Cabo Verde, um gesto que vai “ficar para a história”, conforme classificou o ministro da Defesa.

Esta entrega, que se enquadra no acordo de Cooperação Trilateral Cabo Verde – Luxemburgo – Portugal assinado entre os três países em Agosto de 2018, é, no entender de Luís Filipe Tavares, um gesto que irá reforçar a capacidade de intervenção da Guarda Costeira.

“Cabo Verde, através do Plano Estratégico da Guarda Costeira dá maior importância a essa cooperação trilateral e vamos tudo fazer para intensificar as nossas relações modernizando as nossas Forças Armadas, que é objectivo estratégico do Governo”, assegurou o governante, para quem este dia “vai ficar na história” do país, tendo em conta que se recebeu equipamentos militares “muito importantes” para a Guarda Costeira.

É também neste sentido, que o arquipélago, através da cooperação com “países amigos” tem desenvolvido projectos e programas, segundo Luís Felipe Tavares, “muito importantes” para tornar as regiões do Atlântico Norte, Médio e Sul “mais tranquilas e mais seguras” ao tráfego internacional de mercadorias.

A encarregada dos Negócios do Grão-Ducado do Luxemburgo em Cabo Verde, Angéle Cruz, referiu, por seu lado, que as relações entre os dois países já é de “longa data” e que começaram com a cooperação levada a cabo por Organizações Não Governamentais (ONG), que “diversificaram tanto” que além de relações políticas e culturais, estende-se agora ao campo da defesa.

No caso de Cabo Verde, conforme a responsável, a segurança marítima é um “desafio particular”, que apenas poderá ser limitada através de acções concertadas com “os seus vizinhos, parceiros e em especial com os seus amigos”.

Por isso, o Grão-Ducado doará numa primeira fase, ajuntou, 400 mil euros, para o período 2018-2019, com o objectivo de custear a formação de militares da Guarda Costeira (GC) em Portugal e ainda de fornecer materiais ao Centro Marítimo OSMAR, bem como outras actividades.

No pacote também está a entrega de quatro viaturas e ainda equipamentos militares, efecutados hoje, no Porto Grande do Mindelo, para à GC, que, considerou Angéle Cruz, se mostra como uma “boa ocasião” para “aprofundar mais” a cooperação tripartida.

Todo este material foi carregado até São Vicente a bordo da fragata Álvares Cabral de Portugal, o outro parceiro e que, conforme a embaixadora em Cabo Verde, Helena Paiva, é um “exemplo” de um país que “desde sempre percebeu e utilizou as vantagens, que decorrem destas alianças”.

E agora, esta doacção, ajuntou, representa mais um passo para o “sucesso e consolidação” desta cooperação e pelo contributo que representa para as Forças Armadas cabo-verdianas, em particular à GC, defensora do espaço marítimo nacional.

Para Helena Paiva, Cabo Verde devido a sua localização geográfica enfrenta “grandes ameaças” e que constituem “graves ameaças” ao comércio e segurança internacional, que exigem uma “constante vigilância e prevenção”.

“Se Cabo Verde estiver mais segura, certamente que Europa estará mais segura”, disse.

Esta cooperação trilateral, segundo Luís Filipe Tavares, representa em “termos práticos e concretos mais de 160 milhões de euros”, que vigorarão durante cinco anos.



LN/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos