Luxemburgo apoia Cabo Verde com 3 milhões de euros para reforçar o Programa Nacional das Cantinas Escolares

Cidade da Praia, 20 Out (Inforpress) – O Grão-Ducado do Luxemburgo vai apoiar Cabo Verde com 3 milhões de euros por um período de dois anos para reforçar o Programa Nacional das Cantinas Escolares, no âmbito de um memorando de entendimento assinado hoje na Praia.

O memorando de entendimento no domínio da Segurança Alimentar para o reforço do Programa Nacional das Cantinas Escolares formaliza a intenção do Governo do Grão-Ducado do Luxemburgo de conceder ao Governo de Cabo Verde um apoio no valor de 3 (três) milhões de euros.

Com este apoio, espera-se que todas as crianças do ensino pré-escolar ao ensino secundário possam beneficiar de, pelo menos, uma refeição quente, sã e equilibrada por dia.

A secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Miryan Vieira, que assinou o acordo em representação do Governo cabo-verdiano destacou que esta contribuição, seguramente, irá atenuar os impactos das sucessivas crises com as quais Cabo Verde tem estado a enfrentar ultimamente.

Miryan Vieira reforçou ainda que este apoio constituiu uma mais valia da cooperação existente entre os dois países, que irá contribuir para a construção de resiliências face aos choques externos derivados da crise alimentar da subida dos preços dos alimentos e primeira necessidade e também da crise energética.

“A excelência das relações de cooperação e de amizade também tem sido traduzida em áreas de capital importância para o desenvolvimento do país nomeadamente o sector da água e saneamento, sector da saúde, de emprego e empregabilidade, de transição energético, bem como também do desenvolvimento local”, revelou a secretária.

Regozijou-se, igualmente, com a parceria feita com o Governo do Luxemburgo, um parceiro que “muito tem contribuído” para o desenvolvimento do arquipélago.

Por seu lado, em representação ao Governo do Grão-Ducado do Luxemburgo, o director-geral da Cooperação para o Desenvolvimento e Acção Humanitária, Christophe Schiltz, sublinhou que esta ajuda veio para responder às sucessivas crises por que passa o País.

“Nós temos consciência da crise que afecta Cabo Verde, crise da pandemia, crise do crime de agressão e guerra na Ucrânia, são contextos difíceis que estamos preparando e reforçar a cooperação para poder ajudar Cabo Verde a responder a este período”, vincou, Christophe Schiltz.

O Programa de Cantinas Escolares em Cabo Verde foi iniciado com apoio do PAM em 1979 para aumentar a escolarização, combater a insegurança alimentar e cobrir as necessidades nutricionais dos alunos.

TC/ZS

Inforpress/ Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos