Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Luta contra a info-exclusão e equidade no acesso às TIC deve ser um verdadeiro desígnio nacional – Isaías Barreto

Cidade da Praia, 22 Abr (Inforpress) – O presidente da ARME, Isaías Barreto, afirmou hoje que a luta contra a info-exclusão e a equidade no acesso aos recursos das Tecnologias de Comunicação e Informação (TIC) devem ser verdadeiros desígnios nacionais.

O presidente da Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME) fez estas afirmações, durante a sua intervenção na cerimónia de abertura da ‘webinar’ subordinada ao tema: “A importância das Tecnologias de Informação e Comunicação no ensino, em tempos da pandemia da covid-19”, em comemoração ao Dia Internacional das Jovens Mulheres nas TIC, que se assinala a 22 de Abril, sob o lema: “Conectando meninas, criando futuros mais brilhantes”.

Segundo avançou, na África Ocidental as mulheres têm menos de 35% de oportunidade e benefícios do que os homens no que diz respeito às Tecnologias de Informação e Comunicação, daí, advogou, ser “fundamental” a união de esforços de todos na promoção de acesso equitativo a este precioso recurso.

Destacou a importância das TIC no contexto da pandemia da covid-19, afirmando que a sua utilização plena, a luta contra a info-exclusão e a equidade no acesso aos recursos das TIC deve ser um verdadeiro desígnio nacional, isto, tendo em conta o seu grande potencial no desenvolvimento do país.

“O facto de nós termos definido, aqui em Cabo Verde (…), as TIC como estratégia para o desenvolvimento do nosso país interpelam a todos para que, efectivamente, possamos contribuir para uma maior massificação e democratização do acesso às TIC e igualmente para uma maior equidade de género na utilização e acesso a este recurso”, reforçou.

Por seu turno, a coordenadora do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde, Ana Graça, asseverou que as TIC permitiram a todos estarem ligados durante a pandemia da covid-19, a continuidade do ensino a distância, lamentando, no entanto, o facto de muitas pessoas ao redor do mundo, com destaque para as mulheres e meninas, não terem ainda acesso às TIC.

“Hoje, é uma oportunidade para também reforçar o compromisso com o objectivo da igualdade de género, de acesso das jovens mulheres a oportunidades nas áreas de acesso à ciência, novas tecnologias, engenharia e matemática e com certeza que este evento vai servir algumas destas oportunidades”, afirmou.

Considerou que Cabo Verde tem uma estratégia digital bem delineada no que se refere ao eixo de conectividade, lembrando, por outro lado, que a UNICEF tem vindo a apoiar a inclusão educativa das meninas com necessidades especiais com base nas TIC.

O Dia Internacional das Jovens Mulheres nas TIC  foi estipulado pelo ITU (International Telecommunication Union), organização ligada às Nações Unidas que regulamenta as telecomunicações internacionais.

Trata-se de uma efeméride conhecida pela expressão inglesa “Girls in ICT Day” e comemorada pelos países membros da União Internacional das Telecomunicações (UIT), visando aumentar a consciencialização das jovens mulheres sobre as oportunidades de carreira na área das TIC.

CM/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos