Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Literatura: Dina Salústio promete novo romance entre Dezembro e Janeiro

Cidade da Praia, 12 Jul (Infopress) – A autora cabo-verdiana Dina Salústio, cuja obra “A Louca de Serrano” foi recentemente distinguida com o Prémio PEN de tradução, promete um novo romance para finais de Dezembro e início de Janeiro próximos.

Em declarações à Inforpress, a autora natural de Santo Antão afirmou que tem na forja uma nova obra, “um romance que vai sair em Dezembro ou princípios de Janeiro”.

Dina Salústio revelou ainda que a edição está a cargo da editora Rosa Porcelana. Entretanto não adianta o nome por o mesmo estar a ser tratado com os editores. Apenas diz que Cabo Verde está como pano de fundo.

“Como escritora cabo-verdiana, Cabo Verde está sempre como pano de fundo, porque é a minha maneira de ser, minha forma de sentir como natural de uma ilha. Portanto tudo isso reflecte-se na minha escrita”, afirmou, referindo-se a “um mundo pequeno e às esperanças de se conseguir um mundo maior”.

Quanto à recente distinção do seu romance “A Louca de Serrano” com o Prémio PEN de tradução, Dina Salústio disse que recebeu a notícia com “muito orgulho”.

“Foi bom (risos). Recebi esta notícia com muito orgulho por aquilo que tenho estado a fazer. A gente tenta sempre escrever melhor, escrever coisas com interesse e quando é reconhecido então fica-se feliz”, manifestou a autora.

Quem também reagiu a esta premiação foi o poeta, escritor e editor cabo-verdiano Filinto Elísio, na sua página do Facebook.

“A distinção com o Prémio PEN – Reino Unido de Tradução para o romance “The Madwoman of Serrano” * (Dedalus Books), da escritora Dina Salústio, revela a qualidade da autora e do tradutor Jethro Soutar, assim como o potencial de internacionalização da literatura cabo-verdiana contemporânea, contrariamente ao pessimismo de alguns vaticínios”, escreveu Filinto Elísio.

Para Filinto Elísio, autores da escrita criativa como Arménio Vieira, Daniel Spínola, Dina Salústio, Germano Almeida, Joaquim Arena, Jorge Carlos Fonseca, José Luís Hopffer Almada, José Luiz Tavares, Mário Lúcio Sousa, Tchalé Figueira, Valentinous Rodrigues e Vera Duarte, entre outros, têm enorme potencial de internacionalização.

“A Louca de Serrano” de Dina Salústio estava numa lista de 17 finalistas, de dez idiomas. São eles: “The Distance between Us”, de Renato Cisneros, “The Sea Needs No Ornament”, de vários autores, “The Book of Cairo”, de Raph Cormack, “Negative of a Group Photograph”, de Azita Ghahreman, “My Name is Adam”, de Elias Khoury, “Song of Stars”, de Guus Luijters, “Thirteen Months of Sunrise”, de Rania Mamoun, e “Where the Wild Ladies Are”, de Aoko Matsuda.

A fechar a lista, constam ainda “A Resistência”, do escritor brasileiro Julián Fuks, “Hurricane Season”, de Fernanda Melchor, “Sergius Seeks Bacchus”, de Norman Erikson Pasaribu, “To Leave with the Reindeer”, de Olivia Rosenthal, “Singer in the Night”, de Olja Savičević, “The Remainder”, de Alia Trabucco Zerán, “The Frightened Ones”, de Dima Wannous, e “Zuleikha”, de Guzel Yakhina.

GSF/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos