Literatura: Antologia “Cabo Verde Prosa Literária Pós-Independência” apresentada na Cidade da Praia

Cidade da Praia, 26 Abr (Inforpress): “Cabo Verde Prosa Literária Pós-Independência” é o título de uma obra antológica  que junta   escritores cabo-verdianos de diferentes gerações e estilos literários em prosa e poesia apresentado, hoje, na Cidade da Praia.

A compilação dos textos foi da autoria de Érica Antunes Pereira, Fátima Bettencourt e Simone Caputo Gomes, sendo o prefácio da escritora Vera Duarte.

A obra foi apresentada no âmbito da comemoração da Semana da Leitura, promovida pela Presidência da República, com o intuito de criar uma “nova cultura” de leitura em Cabo Verde, sustentada, sobretudo, no maior acesso a livros e direccionados para diferentes classes de leitores, em todo o país.

Em declarações aos jornalistas, antes da apresentação do livro, Fátima Bettencourt, umas das autoras, esclareceu que a obra conta com participação de diferentes escritores   da fase pós-independência.

“Fomos procurando o que parecesse mais representativo e simbológico, porque uma antologia nunca é um trabalho completo e que agrada a gregos e troianos”, justificou a escritora.

Adiantou a emigração  como o  tema que aparece mais vezes no livro, seguido de  mulher e as memórias da infância.

Dina Salústio, Vera Duarte, Fátima Bettencourt, Abraão Vicente, José Maria Varela, Kaka Barbosa, Jorge Tolentino, Teobaldo Virgínio, José Cabral e Amílcar Sousa Lima são alguns escritores que “emprestam” os seus trabalhos a este livro.

Para esta quinta-feira, no   âmbito desta Semana da Leitura, haverá dois debates, sendo o primeiro denominado “Aprender a ler escrever na era digital” e o segundo “Ler não dá sono, dá sonhos”.

Os colóquios/debates serão encerrados a 28 de Abril, com “Pôr-do-sol poético”, nos jardins do Palácio da Presidência e Sala Beijing, sendo os dois últimos dias (29, sábado. e domingo, 30) dedicados a uma feira de livros.

Com esta iniciativa, o Presidente da República acredita que é possível dar início a uma “nova cultura” de leitura em Cabo Verde, sustentada, sobretudo, no maior acesso a livros e direccionados para diferentes classes de leitores, em todo o país.

O documento refere ainda que o mais alto magistrado da Nação pretende utilizar a influência junto de potenciais parceiros, no país e no estrangeiro, que estejam dispostos a colaborar, em diversas caçoes, entre estas a recolha de livros em “grande escala”.

OM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos