Líderes de bancadas municipais com leituras convergentes sobre reclamações dos munícipes

Cidade da Praia, 17 dez (Inforpress) – Os líderes das bancadas municipais do PAICV e do MpD, na Assembleia Municipal da Praia, fizeram hoje uma leitura coincidente no que respeita às críticas dos munícipes sobre a fiscalização e licenciamento para bares e espaços de venda.

Em declarações à Inforpress, no âmbito da VII Sessão Ordinária da Assembleia Municipal da Praia do mandato 2016-2020 a decorrer hoje e terça-feira, 18, para aprovação do Orçamento do Município para o ano de 2019 e deliberação de outros assuntos agendados, Vladimir Ferreira, da bancada do Partido Africano para a Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), entendeu que todas as intervenções dos munícipes, no total de 20, focalizaram dois aspectos, a fiscalização e a concessão de licenças.

“A câmara licencia determinadas actividades pública e geradoras de rendimento, actividades comerciais, e depois não tem capacidade de fiscalizar, e estes muitas vezes, extrapolam o que está estabelecido na autorização”, disse.

Enquanto líder da oposição, afirmou ter constado que a cidade cresceu e que a estrutura administrativa existente não consegue dar respostas à dimensão da urbe, que caminha para um total de mais de 200 mil habitantes.

“Como tal, a nossa cidade precisa, o mais urgentemente, de uma outra estrutura administrativa. Já era altura de em alguns bairros haver uma instância administrativa, mais próxima dos munícipes, para resolver estes problemas”, precisou.

Enquanto oposição, afirmou que a missão do partido é fiscalizar a câmara e estar perto dos munícipes, pelo que apelou a todos os munícipes a entrar em contacto com a bancada do PAICV para realização de visitas a bairros, visando conhecer os problemas por que passam.

Esta, segundo disse, será uma “boa” oportunidade para o PAICV ajustar a sua proposta de forma a dar respostas aos anseios dos munícipes e também apresentar nas autárquicas de 2020 já que têm “pretensões” de voltar a ser líder da cidade da Praia.

O líder do Movimento para a Democracia (MpD, no poder), Ivan Bettencourt, por seu lado, considerou que a fiscalização é um “grande problema” que deve ser resolvido.

“Neste particular, pensamos que em 2019 vamos resolver o assunto, já que o orçamento contempla a criação da polícia municipal. Acreditamos que com a criação da polícia municipal vamos poder fiscalizar melhor a nossa cidade”, assegurou.

No que tange aos quiosques, sublinhou que a actual gestão camarária tem vindo, no âmbito destes problemas, gradualmente a não renovar as licenças e concorda que tem surgido espaços de natureza em vários sítios sem licença, assim como os que têm licença para venda de artesanato que se transformam em bares.

Quanto às audiências reclamadas pelos munícipes, Ivan Bettencourt ajuntou que todos quanto vão à câmara municipal solicitar uma audiência querem que esta seja com o presidente e não com os vereadores, daí a demora no atendimento.

PC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos