Líder do Zimbabué quer observadores internacionais para garantir eleições livres

 

Harare, 19 Jan (Inforpress) – O Presidente do Zimbabué, Emmerson Mnangagwa, defendeu hoje a presença de observadores internacionais nas eleições presidenciais e legislativas que se vão realizar no país, argumentando que é preciso romper com as práticas do seu antecessor, Robert Mugabe.

“Queremos eleições credíveis”, vincou o chefe de Estado, em entrevista publicada hoje no Financial Times, na qual acrescentou que gostaria que as Nações Unidas e a União Europeia enviassem observadores.

Na entrevista, realizada durante a visita a Moçambique, esta semana, Mnangagwa disse que o ato eleitoral deve acontecer daqui a “quatro ou cinco meses” e garantiu que as eleições serão “livres, credíveis, justas e indiscutíveis, para que o Zimbabué possa ser considerado um Estado democrático”.

Emmerson Mnangagwa sucedeu, no final de Novembro, ao Presidente Robert Mugabe, obrigado a demitir-se devido à pressão do exército, da população e do seu partido, após 37 no poder.

De acordo com a AFP, os críticos do Presidente, que fez parte do regime opressivo de Mugabe, duvidam da sua vontade de realizar eleições transparentes e pacíficas, lembrando que ele foi um dos executores da repressão ordenada por Mugabe quando estava na Presidência.

Lusa/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos