Líder do PAICV questiona ausência do primeiro-ministro no debate sobre políticas do emprego

Cidade da Praia, 24 Abr (Inforpress) – A líder do grupo parlamentar do PAICV, Janira Hopffer Almada questionou hoje a ausência do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, no debate sobre o emprego que, segundo adiantou, “é um dos maiores desafios do país”.

Durante uma intervenção no debate sobre políticas do emprego, promovido hoje na Assembleia Nacional a pedido do grupo parlamentar do Movimento para a Democracia (MpD), a líder do principal partido da oposição disse não entender como é que o chefe do Governo que é responsável pela coordenação da governação, se ausente do debate de um tema tão importante.

“Segundo consta o emprego é uma das maiores prioridades da governação. Como é possível que estando a discutir esta questão tão importante para os cabo-verdianos, tão prioritária, que foi solicitada pela bancada que suporta o Governo, o chefe do Governo não se digna em se apresentar perante o Parlamento para discutir com os deputados esta matéria”, questionou.

Janira Hopffer Almada disse que tem sido prática o chefe do Governo se apresentar ao Parlamento para os debates e citou aquilo que era prática do anterior primeiro-ministro José Maria Neves.

“Não participava nas interpelações, mas participava no debate, mas o primeiro-ministro actual entende que não vem ao Parlamento e manda os ministros que não coordenam e não são os primeiros responsáveis pela governação para virem cá em matéria que não estão à vontade para discutir”, disse.

Para Janira Hopffer Almada este acto se afigura como “um desrespeito para com a nação cabo-verdiana e para o Parlamento” perante o qual o Governo responde politicamente.

Em resposta o ministro da Presidência do Conselho de Ministros e dos Assuntos Parlamentares, Fernando Elísio Freire, disse que Ulisses Correia e Silva não é José Maria Neves e afirmou que o actual chefe do Governo confia nos seus ministros.

“Ulisses Correia e Silva, descentraliza, delega e demonstra competências ao país. Portanto é esta a diferença”, sublinhou.

Por outro lado, disse que a declaração de Janira Hopffer Almada é um acto de meia culpa e de desrespeito que “eventualmente” terá tido pelo Parlamento, já que no mês passado faltou ao debate sobre a comunicação social, promovido pelo grupo parlamentar do PAICV.

“A constituição diz claramente quais são as responsabilidades da líder da oposição porque ela é a responsável máxima pela acção do grupo parlamentar e do seu partido. Então porque é que faltou à sessão passada”, disse o ministro, perguntando se a comunicação social não tem valor.

Sobre este assunto reagiu também o líder do grupo parlamentar do MpD, que também justificou a ausência do primeiro-ministro com a confiança que Ulisses Correia e Silva tem nos ministros responsáveis pelas áreas sob suas responsabilidades.

“Os ministros não são ajudantes do primeiro-ministro. São os mais altos responsáveis pelos sectores pelos quais respondem”, notou.

Retomando a palavra Janira Hopffer Almada leu o artigo 56 da Constituição da República para dizer que é dever/obrigação do primeiro-ministro se apresentar regularmente ao plenário da Assembleia Nacional, salientando que ela enquanto líder da oposição não tem a responsabilidade de governação como tem o chefe do Governo.

“Eu não estive na interpelação porque estava no exterior em missão do partido”, justificou a sua ausência no debate sobre a comunicação social, indicando se tratar ainda de uma situação diferente porque o primeiro-ministro está no país e na Cidade da Praia.

MJB/FP

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos