Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Legislativas2021/Boa Vista: Cabeças-de-lista votam excepto o da UCID

Sal Rei, 18 Abr (Inforpress) – Os cabeças-de-lista do PAICV, MPD e do PP já exerceram o seu direito ao voto nestas eleições legislativas, com a excepção do UCID, que não conseguiu transferir a sua mesa de votação de São Vicente para Boa Vista.

“Infelizmente, não foi possível fazer a minha transferência de voto de São Vicente para a ilha da Boa Vista. Não sei qual foi exactamente o erro. Entretanto, poderia ter ido à São Vicente exercer o meu direito, mas devido ao grande problema dos meios de transporte que existe, não me foi possível deslocar”, afirmou o candidato da UCID, José Rui Lima, em declarações à Inforpress.

O cabeça-de-lista da UCID explicou ainda que fez os “procedimentos legais com antecedência”, tendo, inclusive, recebido a credencial, mas, mesmo assim, o seu nome não consta nos cadernos eleitorais para a ilha da Boa Vista.

“Parti do princípio de que, desde que fiz a transferência, já poderia estar pronta”, frisou o candidato, acrescentando ainda que recebeu uma mensagem no telefone com indicações de voto com nome de outra pessoa, numa localidade de São Vicente.

Mesmo assim, o cabeça-de-lista da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID), José Rui Lima, acredita que “a mensagem do partido foi transmitida, e apelou às pessoas que vão às urnas exercer o seu direito de voto para concretizar a mudança”.

Dos restantes, o primeiro a votar foi o cabeça-de-lista do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Walter Évora, que se deslocou às 09h00 deste domingo à Escola Nova em Sal Rei para exercer o seu direito de voto.

“Exerci o meu direito de voto com a consciência de ter cumprido um dever cívico, um direito que deve ser exercido por todos os maiores de 18 anos”, afirmou o candidato, para quem ninguém deve se abster de participar nesta “decisão tão importante” para o País, que é a escolha dos próximos eleitos nacionais e do próximo governo da República de Cabo Verde.

Por isso, Walter Évora, que falava à Inforpress, reforçou o apelo para que as pessoas participem massivamente neste acto eleitoral, afirmando que a decisão que for tomada pelo povo é sempre uma boa decisão, que deve ser respeitada por todos.

“Estamos confiantes que teremos um bom resultado na ilha da Boa Vista. A forma como fomos recebidos ao longo de toda a campanha eleitoral foi um sinal mais forte que tivemos e que nos dá essa confiança para esperarmos hoje no final do dia um excelente resultado”, acrescentou.

Já a cabeça de lista do Movimento para a Democracia (MpD), Elisabete Évora, exerceu o seu direito de voto por volta das 10h00, na localidade de João Galego, onde conferiu haver “um movimento ameno, tranquilo” e que a adesão às urnas “está a correr na normalidade”.

A candidata fez o apelo no sentido de as pessoas se dirigirem às mesas de voto, cumprir com o dever cívico para o bem da ilha da Boa Vista e para “o melhor de Cabo Verde”.

“Faço o apelo para que as pessoas vão às urnas e, sobretudo, que seja um voto consciente, pensando no desenvolvimento da Boa Vista e de Cabo Verde em geral”, reiterou, esperando que “hoje as pessoas já têm plena consciência das opções e quem é que querem para governar o País”.

Por seu turno, o cabeça-de-lista do Partido Popular (PP), Sérgio Corá, exerceu o seu dever cívico por volta das 10h30, também na Escola Nova, em Sal Rei.

“Infelizmente, há muita gente que já não acredita em todas as promessas que se costuma fazer nas campanhas eleitorais. Espero que nesta eleição a abstenção possa ser menor que as últimas eleições autárquicas”, disse o candidato, em declarações à imprensa depois de voltar.

Sergio Corá defendeu ainda que é preciso continuar a acreditar no sistema democrático, ressaltando que Cabo Verde é um exemplo em África.

“Infelizmente, a classe política ainda não tem todo o respeito que precisa ter para com os cidadãos, mas nós precisamos continuar a acreditar, porque é o único sistema para melhor o nosso País. Estou a pedir claramente que as pessoas se dirijam às mesas de voto para votar. Espero que um dia votar seja obrigatório”, acrescentou.

A ilha da Boa Vista tem inscrito 7.856 eleitores, distribuídos por 27 mesas de voto, menos seis mesas do que nas autárquicas de 2020.

Os números foram avançados pelo presidente da Comissão de Recenseamento Eleitoral da Boa Vista (CRE-BV), Helder Brito, que, em declarações à inforpress, avançou que há 16 mesas de voto na cidade de Sal Rei, três em Rabil, duas em Estância de Baixo, duas em João Galego, duas em Fundo das Figueiras, enquanto que em Cabeça dos Tarrafes, Povoação Velha e em Bofareira, há uma mesa para cada das localidades.

Às legislativas de hoje, para a eleição de 72 deputados em 13 círculos eleitorais, dos quais 10 no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP.

PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e os três da diáspora) e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).

As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD) vencido com maioria absoluta, ao eleger 40 deputados, o PAICV 29 e a UCID três.

O círculo eleitoral da Boa Vista tem inscrito 7856 eleitores, distribuídos por 27 mesas de voto, espalhados pelos povoados da ilha.

GSF/VD/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos