Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Legislativas 2021/Santo Antão: Cabeça-de-lista da UCID acusa Governo de “falta de capacidade” na aplicação da lei do grogue

Porto Novo, 06 Abr (Inforpress) – O cabeça-de-lista da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) pelo círculo eleitoral de Santo Antão, José Graça, acusou o Governo de “falta de capacidade” na aplicação da lei de valorização do grogue, “penalizando” os produtores da ilha.

José Graça, que esteve, segunda-feira, 05, em Chã de Pedras, no interior do concelho da Ribeira Grande, em contactos com os agricultores e populares, no geral, avançou que o Governo tem demonstrado “má fé” ao permitir que algumas pessoas continuem a produzir “um grogue de má qualidade”, utilizando “produtos nocivos à saúde”.

O cabeça-de-lista da UCID admitiu que se chegou a fazer “alguma coisa” em fiscalização, mas que “nos últimos tempos tem havido uma bandalheira” no cumprimento da lei do grogue, por “falta de capacidade de fiscalização” do actual Governo.

Em Santo Antão, segundo este candidato a deputado, os agricultores estão “duplamente penalizados”, por causa das pragas, designadamente dos mil pés, que obrigaram os lavradores a desistir do cultivo de produtos frescos, optando pela cultura da cana sacarina.

Outro factor que tem penalizado os agricultores nesta ilha, adiantou, relaciona-se, precisamente, com falta de fiscalização, situação  que facilita aqueles que estão a produzir grogue sem qualidade, com a utilização, no seu fabrico, do açúcar e de “outros produtos prejudiciais à saúde” das pessoas.

“É má-fé do Governo que fez a lei do grogue, mas, entretanto, nada está a ser feito para que a mesma seja cumprida”, sublinhou José Graça, para quem, depois de algum trabalho de fiscalização, nota-se agora “uma bandalheira” em relação à aplicação da legislação sobre a produção do grogue.

A aguardente, produzida com qualidade, constitui “uma grande fonte de rendimentos”para as famílias em Santo Antão, declarou o cabeça-de-lista da UCID, insistido na necessidade de os santantonenses votarem neste partido, que precisa, a seu ver, reforçar a sua capacidade de intervenção no parlamento, na defesa dos interesses da ilha.

Ainda em Chã de Pedras, a equipa da UCID foi confrontada com a reivindicação dos moradores em relação à requalificação da estrada de acesso à Pia de Cima e, se for eleito deputado, José Graça prometeu “fazer pressão” para que essa via seja melhorada.

Às legislativas do dia 18 para eleição de 72 deputados em 13 círculos eleitorais, dos quais dez no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP.PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e três diáspora), e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).

As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD) vencido com maioria absoluta, ao eleger 40 deputados, o PAICV 29 e a UCID três.

JM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos