Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Legislativas 2021: Partido Popular quer eleger pelo menos um deputado

Cidade da Praia, 28 Mar (Inforpress) – O candidato do Partido Popular (PP) às eleições legislativas de 18 de Abril afirmou hoje que o seu partido quer eleger pelo menos um deputado para continuar a lutar para o “bem-estar e dignidade” da família cabo-verdiana. 

O candidato a primeiro-ministro e cabeça de lista pelo círculo eleitoral da Praia, Amândio Vicente, explicou à Inforpress que a campanha do PP será “simples e sem exagero” dentro das possibilidades do partido.  

Avançou que o programa eleitoral do partido terá como foco o bem-estar das famílias cabo-verdianas e propõe “medidas estruturantes” a nível do sector social, económico, transportes, infra-estruturas, tecnológico, empresarial, saúde, turismo e agricultura, áreas, no seu entender, “cruciais” para o desenvolvimento de Cabo Verde.   

Para Amândio Vicente, nenhuma família cabo-verdiana pode ficar sem fonte de rendimento devido à falta de emprego, por isso defende que é necessário o apuramento do cadastro social para captar/registar as pessoas sem rendimentos e património relevantes para serem apoiadas na formação e no emprego.

“O PP vai desenvolver a educação e os mecanismos materiais que possam produzir não são recursos e tecnologias mais adaptadas para o desenvolvimento do País, mas também na consciencialização das pessoas do seu papel e da sua responsabilidade como agente de desenvolvimento pessoal e familiar da sociedade”, apontou.  

O candidato mostrou-se confiante que as tecnologias existentes e a aposta na investigação de novas formas de recursos para se adaptar e suplantar a natureza do País é o “caminho certo” para um desenvolvimento que nunca deve apoiar-se naquilo que o País não possui.

Mas, sim, assinalou, em parcerias com países e pessoas que comprovem empenho no desenvolvimento de Cabo Verde, mas sobretudo, precisou, na “perenidade e sustentabilidade” em que “ninguém possa ser excluído do processo”.

Propõe que as empresas com grande número de trabalhadores devam ser incentivadas através de benefícios fiscais de várias ordens e que o salário mínimo deve ser pelo menos de 20 mil escudos e com diferenças, de acordo com as ilhas e custos de vida.  

Amândio Vicente defendeu ainda a aposentadoria progressiva aos funcionários a partir dos 50 anos, que trabalham em meio período (até à reforma) para transferir os conhecimentos aos jovens que trabalham no período complementar.  

Do seu ponto de vista, os decisores políticos sempre optaram por um caminho de “enriquecimento fácil”, baseado na promoção de negócios, muitas vezes
“pouco transparente”, evitando, assim, que as novas tecnologias e o desenvolvimento chegassem a toda a população.  

O líder do PP considerou ainda que este é o momento “da mudança e da verdade e de reverter” este cenário actual, que segundo o mesmo, foi feito pelo Governo actual.  

Natural de Tarrafal de Santiago, freguesia de Santo Amaro, onde nasceu a 10 de Abril de 1963, casado, Amândio Vicente reside em Palmarejo, Cidade da Praia, onde seguiu uma trajectória estudantil e profissional, tendo começado na vida política em 2015, quando pensou com um grupo de amigos criar o Partido Popular de Cabo Verde (PP).  

Em 2002/2004 fez uma licenciatura em Economia e Gestão – Controle Financeiro, na Universidade Jean Piaget de Cabo Verde, e, em 2009, o mestrado em Finanças, no Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa (Portugal).  

Trabalhou como técnico oficial de contas, como operário da construção civil nos anos 1981, 1982, 1983, 1984 e 1985; como auxiliar de arquivo de 10 de Outubro de 1985 a 31 de Janeiro de 1989, no Tribunal Regional da Praia; como técnico de exploração da Ex-CTT-EP de 01 de Fevereiro de 1989 a 30 de Junho de 1995, e como técnico superior dos Correios de Cabo Verde, SARL.  

Nas legislativas de 18 de Abril para eleição dos 72 deputados, em 13 círculos eleitorais, sendo dez no país e três na diáspora, concorrem seis partidos, sendo PAICV, MpD e UCID em todos os círculos, PP em seis círculos – Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e três diáspora, PTS também em seis círculos – São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e três diáspora, e PSD em quatro círculos – Santiago Norte, Santiago Sul, América e África.

– As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD), liderado por Ulisses Correia e Silva, vencido com maioria absoluta, elegendo 40 deputados, o PAICV 29 e a UCID três.

AV/AA 

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos