Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Legislativas 2021/Ilha do Sal: PAICV “indignado” pede intervenção do Governo perante situação de desemprego de 600 trabalhadores do Hotel Meliã

Espargos, 08 Abr. (Inforpress) – O cabeça-de-lista do PAICV, no Sal, manifestou-se, quarta-feira, indignado com a situação de desemprego de cerca de 600 trabalhadores do Meliã Hotels, e pediu a intervenção do Governo, no sentido de exigir à entidade empregadora a respeitar a lei.

Démis Almeida, que encabeça a candidatura do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), para o círculo eleitoral do Sal, fez esta denúncia depois de um encontro com os trabalhadores desta unidade hoteleira.

Explicou que durante o encontro foi informado que estes trabalhadores estão, neste momento, sem receber a sua prestação, alegadamente, por o Governo “não ter saldado a dívida” com as despesas de alojamento do pessoal no quadro da realização dos Jogos Africanos de Praia – Sal 2019, as quais ocorreram a 14 de Junho, já lá vão quase dois anos, e também com despesas de alojamento da tripulação da Cabo Verde Airlines.

“Esta situação é absolutamente grave e inaceitável. O Governo deverá ter uma postura de solidariedade para com esses cerca de 600 pessoas – são 600 famílias a passar por situação difícil -, no sentido de exigir a entidade empregadora a respeitar a lei, o Código Laboral”, frisou, asseverando que se o contrato de trabalho foi denunciado têm o direito de receber “integralmente” as suas compensações.

Segundo Démis Almeida não se deverá permitir que a entidade empregadora, o Resort Group, esteja a fazer essa “espécie de chantagem”, envolvendo o próprio Governo, usando “supostas dívidas” como razão para não estar a cumprir um dever legal, a compensação pelo final do contrato de trabalho desses trabalhadores, jovens e chefes de família, mormente numa conjuntura de crise económica e social que se vive no Sal.

Perante o cenário, o pretendente à casa parlamentar considera que o Governo “não pode, pura e simplesmente, sacudir a água do seu capote”, remetendo-lhes ao tribunal, ou a entidades administrativas que estão na dependência do Governo, como a Direcção-Geral do Trabalho e a Inspecção-Geral do Trabalho, quando, reforçou, “não poderão ter nenhuma intervenção” para, no imediato, resolver o problema desses trabalhadores.

“Quisesse o Governo, pela via negocial e pela via de exigência do cumprimento da lei, esse problema seria resolvido. É a única entidade que nesse momento poderá intervir no sentido de resolver o problema e cessar a situação de grande preocupação, ansiedade e dificuldades que essas famílias estão a passar”, comentou.

A caravana do partido “estrela negra”, no Sal, dedicou a parte de manhã do dia de hoje com encontros às confissões religiosas para à tarde estar em visitas no terreno nas zonas de África 70 e IFH, seguido de um mini comício.
Às legislativas do dia 18 de Abril para eleição de 72 deputados, em 13 círculos eleitorais, dos quais dez no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP.

PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e três diáspora), e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).

As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD) vencido com maioria absoluta, ao eleger 40 deputados, o PAICV 29 e a UCID três.

SC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos