Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Legislativas 2021/Diáspora: Candidato do PAICV para América afirma que pandemia está a “condicionar” campanha

Cidade da Praia, 07 Abr (Inforpress) – O candidato do PAICV para a América, Alberto Alves, disse hoje à Inforpress que a pandemia de covid-19 está a “condicionar” a campanha eleitoral, pelo que estão a usar as plataformas digitais para passar a sua mensagem.

“Esta é uma campanha estranha, mas temos de ser capazes de nos adaptarmos ao momento, pois há muita rigorosidade no que diz respeito ao cumprimento das obrigações sanitárias impostas pelas autoridades”, afirmou Alberto Alves, acrescentando que, desta forma, têm privilegiado contactos com o eleitorado, através da comunicação social e das plataformas digitais.  

O cabeça-de-lista do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) para a América garantiu, em entrevista à Inforpress, via telefone, a partir da Cidade da Praia, que o seu partido está a cumprir “rigorosamente” as directrizes das autoridades sanitárias no sentido de se evitar grandes concentrações de pessoas.

Segundo o candidato, na impossibilidade de organizar grandes concentrações de pessoas, as reuniões têm sido feitas via plataformas digitais, além de contactos porta-a-porta, “orientado para serviços públicos de cabo-verdianos, nomeadamente lavandarias, barbearias e outros pequenos negócios, como bares e restaurantes”.

Os contactos, conforme revelou Alberto Alves, têm sido feitos também por telefone, com recurso aos cadernos eleitorais disponíveis, onde estão inscritos os eleitores.

“Temos passado uma mensagem de esperança e de confiança de que algo tem de mudar, porque, em certas matérias, não podemos continuar como estamos”, afirmou, indicando os transportes como dos “mais críticos”, de momento.

“No passado, tínhamos ligação directa EUA/Cabo Verde, embora com alguns problemas, e hoje nem isso temos”, lamentou Alberto Alves que defende uma campanha para sensibilizar as pessoas a cumprir o direito de cidadania, “indo às urnas no dia 18 de Abril”.

O cabeça-de-lista dos ‘tambarinas’ entende que os emigrantes cabo-verdianos nos EUA, para visitarem o País, têm enfrentado “imensas dificuldades” porque as viagens são feitas via Açores, o que, revelou, “além de acarretar custos, também provoca muitas canseiras”.

“Neste momento, muitas pessoas querem ir a Cabo Verde mas têm receio porque podem correr o risco de perder o seu emprego”, admitiu, justificando que esta desconfiança se deve ao anúncio da transportadora aérea doméstica sobre o cancelamento dos voos a partir do dia 01 de Abril.

De acordo com Alberto Alves, os emigrantes têm um descontentamento acumulado porque, explicou, na fase inicial da pandemia muitos que se encontravam de férias em Cabo Verde regressaram “com muito atraso, num voo organizado, e pagaram 1.400 dólares”.

“Tinham passagem de ida e volta e até hoje não lhes foram devolvidos os seus dinheiros”, queixou-se o candidato do PAICV, que debita a culpa à CV Airlines.

No dizer desse político, as alfândegas ainda constituem uma preocupação “muito grande” da parte da comunidade cabo-verdiana nos EUA.

Na sua perspectiva, os emigrantes exigem “maior respeito e consideração” por parte das autoridades, uma vez que têm contribuído para o desenvolvimento de Cabo Verde.

“Os emigrantes têm enviado para Cabo Verde, por dia, cerca de meio milhão de dólares”, indicou, para depois lamentar a “humilhação e falta de respeito” em relação aos emigrantes.

Para Alberto Alves, os emigrantes reivindicam uma “discriminação positiva” no que tange ao tratamento que lhes é dado nas câmaras municipais.

Ao todo, a nível da diáspora, são eleitos seis deputados, sendo dois para a Europa e resto do mundo, dois para a África e dois para a América.

Às legislativas do dia 18 de Abril, para a eleição de 72 deputados em 13 círculos eleitorais, dos quais 10 no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP.

PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e os três da diáspora) e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).

As últimas eleições legislativas em Cabo Verde ocorreram no dia 20 de Março de 2016, tendo o Movimento para a Democracia (MpD) vencido com maioria absoluta, ao eleger 40 deputados, o PAICV 29 e a UCID três.

LC/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos