Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Legislativas 2021/Diáspora: Cabeça-de-lista do MpD quer que se dê ao Governo a oportunidade de “continuar a trabalhar”

Cidade da Praia, 11 Abr (Inforpress) – O cabeça-de-lista do MpD para a América, Fátima Wright, disse hoje que a campanha está a decorrer “muito bem” e, no dia 18 de Abril, espera que se dê ao Ulisses Correia e Silva a oportunidade de “continuar o trabalho iniciado em 2016”.

“Estamos a cumprir as leis sanitárias e, no domingo passado, fizemos uma reunião com cerca de 75 pessoas, num local que podia caber aproximadamente 150”, afirmou a candidata do Movimento para a Democracia a deputada pelo círculo eleitoral da América, acrescentando que o encontro contou com a participação do líder do partido, Ulisses Correia e Silva, através da plataforma digital Zoom.

Fátima Wright fez essas declarações em entrevista à Inforpress, a partir dos Estados Unidos, onde reside.

“A reunião foi muito gostosa, amigável, com os militantes, simpatizantes e amigos do MpD e foi uma coisa maravilhosa”, asseverou, acrescentando que ontem realizaram uma passeata em Brockton, seguido de Nortchester.

Neste domingo, prosseguiu, vão estar na sede da campanha para verificarem os cadernos eleitorais e ligar para as pessoas, a fim de se saber se precisam de boleia para se deslocarem às assembleias de voto.

“Está a ser uma disputa muito boa”, enfatizou Fátima Wright e, segundo ela, o MpD está a levar uma mensagem no sentido de, no dia 18, “toda a gente ir às urnas” e dar ao Governo a “oportunidade de continuar o trabalho que começou em 2016”.

“De Santo Antão a Brava, fizeram um trabalho maravilhoso, muito embora com a pandemia. Deve-se levar em conta a pandemia, porque milhões de pessoas já morreram”, realçou a cabeça-de-lista dos “ventoinhas” para a América, lembrando que a chacina de Monte Txota foi “o primeiro balde de água fria e, depois, vieram as secas de três anos, seguidas das chuvas que destruíram muita coisa”.

“Mesmo assim, o Governo manteve-se firme e conseguiu controlar as coisas”, realçou, para depois sublinhar que Cabo Verde foi dos poucos países do mundo que, inicialmente, hospedou nos hotéis todos os passageiros vindos do estrangeiro, “isto com o objectivo de evitar que o vírus se espalhasse”.

Segundo ela, apesar de Cabo Verde ser um país “muito pobre”, o executivo de Ulisses Correia e Silva “assegurou a barra”.

Instada sobre as preocupações que os emigrantes cabo-verdianos apresentam aos candidatos, revelou que tem sido “o caso dos transportes”, mas que já estão “mais ou menos a compreender a situação”.

“A primeira preocupação do actual Governo foi no sentido de os voos da TACV voltarem para Boston, em vez de Rhode Island”, assegurou Fátima Wright.

Relativamente às Alfândegas, a candidata do MpD reconheceu que havia queixas da parte dos emigrantes nos EUA, mas que com a criação da taxa única “a situação apaziguou-se um pouco”.

Uma vez, explicou, as pessoas enviavam as suas encomendas e eram lhes cobradas, conforme o “amiguismo”

“Agora, não. Há uma taxa única para todo o mundo”, garantiu Fátima Wright, adiantando que haverá “uma outra pessoa que esteja satisfeita”, mas que a “situação não está como anteriormente”.

“No caso da emissão de documentos, que antes os serviços consulares levavam muito tempo, actualmente, as pessoas estão mais felizes, comparando com a situação que antes existia”, precisou, acreditando que, com o tempo, as coisas “vão melhorar ainda mais”.

A candidatura do MpD nos EUA, à semelhança das demais, tem sido feita através das redes sociais, dos órgãos de comunicação social, panfletos e flyers nas casas comerciais, barbearias e salões de cabeleireiro.

Ao todo, a nível da diáspora, são eleitos seis deputados, sendo dois para a Europa e resto do mundo, dois para a África e dois para América.

Às legislativas do dia 18 de Abril, para a eleição de 72 deputados em 13 círculos eleitorais, dos quais 10 no País e três na diáspora, concorrem seis partidos – PAICV, MpD, UCID, PTS, PSD e PP.

PAICV, MpD e UCID concorrem em todos os círculos, PP em seis círculos (Santiago Sul, Santiago Norte, Boa Vista e os três da diáspora), PTS também em seis círculos (São Vicente, Santiago Sul, Santiago Norte e os três da diáspora) e PSD em quatro círculos (Santiago Norte, Santiago Sul, América e África).

LC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos