Legislativas 2021: Candidato do Partido do Trabalho e Solidariedade apela ao apoio dos cabo-verdianos

Cidade da Praia, 23  Fev (Inforpress) – O candidato do Partido do Trabalho e Solidariedade (PTS) pelo círculo eleitoral da Praia, Carlos Manuel Tavares, apelou hoje aos cabo-verdianos  a apoiá-lo financeira e materialmente para levar avante a sua candidatura.

Carlos Manuel Tavares, também conhecido como Romeu di Lourdes, que  fez este apelo durante uma conferência de imprensa, justificou que o PTS “não dispõe de recursos” e prometeu uma “campanha  pedagógica e sem esbanjamento”.

“O nosso objectivo é o de conseguir  subsídios para garantir parte de alimentação e deslocação”, disse o candidato, que prevê “longas caminhadas” durante a campanha.

Prevê desenvolver uma campanha “perto das pessoas”, sensibilizando-as para a necessidade de o parlamento ter outras vozes, que não sejam apenas  as dos partidos como o Movimento para a Democracia (MpD, poder), o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) e a União Cabo-verdiana Independente e Democrática  (UCID), ambos na oposição.

“Queremos fazer com que as pessoas se envolvam na campanha e saibam que se trata de uma candidatura jovem, sem recursos, mas com uma grande vontade de participar na vida pública”, asseverou.

Para Carlos Manuel Tavares, os partidos que estão representados no parlamento deviam contar com uma subvenção do Estado, porque, afirmou, “mesmo estando fora, dão o seu contributo para o desenvolvimento de Cabo Verde”.

Instado se acredita que os cabo-verdianos vão  responder ao seu apelo, no sentido de apoiarem,  admitiu que sim, ressaltando que as pessoas estão conscientes da necessidade de haver um parlamento “mais equilibrado e mais representativo”.

“O trabalho que tenho feito perto das  comunidades tem me levado a acreditar que as pessoas estão disponíveis a apoiar”, indicou, acrescentando que  os cabo-verdianos “querem jovens no parlamento e na participação política”.

Romeu di Lourdes, que disse privilegiar uma campanha de contactos directos com as pessoas,  mostrou-se “cuidadoso” tendo e conta a situação da pandemia de covid-19 que, neste momento, assola Cabo Verde.

“Vão ser contactos cuidadosos em que vamos respeitar as regras sanitárias em vigor no País”, observou.

Se for eleito no dia 18 de Abril, quer ser um deputado “perto das pessoas” e que, “na verdade”, lhes  representará no Parlamento.

Crítico em relação a forma como funciona a Assembleia Nacional, informou que na actual circunstância os deputados têm representado os interesses dos seus partidos políticos em detrimento dos do povo que os elegeu.

“Quero ser um deputado que realmente representa as pessoas. Esta luta não é apenas minha, é de todos”, lançou o candidato do PTS.

Instado por que razão não optou pelos partidos do arco do poder, explicou nesses termos: “Penso que o nosso Parlamento precisa de ter outras representações políticas. Se é assim que penso, não posso entrar nos partidos que lá já estão”.

Perguntado se está a trocar a política pela música, Romeu di Lourdes como é conhecido no mundo artístico,  negou que isto possa acontecer, acrescentando, entretanto, que, enquanto activista cultural pretende envolver-se em tudo que seja possível “melhorar a vida das pessoas tornar melhor o nosso País”.

LC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos