“Korenti di Ativista Rizistensia i Liberdadi” exorta a sociedade a pensar com a própria cabeça 

Cidade da Praia, 20 Jan (Inforpress) – A nona edição da marcha “kabral Unifikador di Povu” realizada, hoje, pelo “Korenti di Ativista Rizistensia i Liberdadi” visou exortar a sociedade a pensar com a própria cabeça e buscar a mudança com confiança.

Em declarações à imprensa, durante a concentração dos grupos participantes na nona edição da marcha “kabral Unifikador di Povu” (Cabral unificador do povo), na praça Alexandre Albuquerque, no plateau, a porta-voz Mia Luz adiantou que um dos principais objectivos da marcha é levar uma “consciencialização crítica” às pessoas das comunidades para que, como activistas sociais, busquem fazer com que as pessoas “pensem com as próprias cabeças” no que podem “fazer para as suas comunidades e para o País”.

A proposta do lema “Pensa ku bu kabesa” (pensar com a própria cabeça), conforme explicou Mia Luz, surgiu da percepção que tem sobre os bairros comunitários e por estar ciente das dificuldades que as pessoas deste meio enfrentam, por este motivo nasceu o slogan como forma de instigar as pessoas a pensarem de que maneira podem apoiar a sociedade em que vivem e qual é o seu papel dentro da mesma.

“Em todas as vertentes, perguntar qual é o meu papel na saúde, na economia… tudo isto é importante e temos que estar mais dentro destas vertentes”, sustentou a porta-voz, tendo ressaltado que a saúde tem sido uma das maiores preocupações devido à covid-19.

Mia Luz frisou que o foco da marcha “kabral Unifikador di Povu” tem sido de levar uma mensagem positiva para que todos possam tomar consciência, destacando que têm conseguido fazer um trabalho de consciencialização junto das comunidades e sobretudo levar a confiança às pessoas que “podem ser e fazer a mudança”.

Segundo a responsável, com a marcha pretende-se também enaltecer a importância e o papel das mulheres em Cabo Verde, por isso trouxeram a Titina Silá, uma das mulheres que participou na luta de libertação nacional, como forma de inspirar outras mulheres.

Apelou aos homens e mulheres a terem “mais consciência” e a prestarem atenção nas coisas que acontecem nos arredores dos bairros comunitários de modo a saberem dar uma resposta a todas as demandas da sociedade.

A marcha conta com a participação de vários grupos, entre eles a Associação Pelourinho, o Movimento Corrente Activista, a Escola de África, a Academia de Achadinha e a Comunidade de Rebelados.

A marcha cultural “kabral Unifikador di Povu” tem vindo a ser realizada desde 2013, para celebrar o dia dos Heróis Nacionais e manter vivo na memória da juventude cabo-verdiana o enorme sacrifício realizado por Amílcar Cabral e seus companheiros na luta pela independência de Cabo Verde, da Guiné-Bissau e de toda a África.

TC/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos