Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Júlio Andrade admite necessidade de aquisição de um novo aparelho TAC para o Hospital da Praia

 

Cidade da Praia, 09 Mai (Inforpress) – O director do Hospital Agostinho Neto (HAN), na Cidade da Praia admitiu hoje a necessidade de se adquirir um novo aparelho de Tomografia Axial Computorizada (TAC), para os exames complementares do diagnóstico nesse estabelecimento que tem enfrentado dificuldades nesse sector.

Segundo Júlio Andrade, que falava em declarações à Inforpress na sequência da visita efectuada esta terça-feira ao HAN pelos deputados do MpD, a solução da situação por que passa o hospital, com o equipamento de TAC a sofrer avarias frequentes, é a aquisição de um novo aparelho através do Orçamento do Estado para 2018, no quadro do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável.

Conforme explicou o gestor do HAN, o equipamento TAC deste hospital é relativamente novo, instalado em 2013, mas tem vindo a sofrer avarias com frequência, contando já neste momento com cerca de 20 intervenções.

Júlio Andrade admite que a manutenção deste aparelho não tenha sido a melhor, por entender que normalmente os equipamentos tecnologicamente avançados são adquiridos pelas empresas que preparam os seus técnicos especializados.

Contrariamente, disse, em Cabo Verde são envolvidos os técnicos nacionais nestes serviços para a resolução destes problemas, como forma de se minimizar os custos, e o resultado é este que estamos agora a constatar.

O director do HAN aproveitou esta entrevista para anunciar, entretanto, os desafios que esta maior estrutura sanitária do país tem pela frente e que passa, nomeadamente pela melhoria da prestação de uma assistência médica mais diferenciada a nível nacional, visando a sua transformação num hospital de referência nacional.

Para isso, considera ser necessário apostar no investimento em áreas como recursos humanos, mediante a formação contínua e especializada, na melhoria da organização e funcionamento organizacional, melhoria das instalações e tecnologias para se poder dar uma resposta cabal às demandas.

Em termos de constrangimentos a serem ultrapassados de imediato, Júlio Andrade aponta a necessidade de melhorar os serviços de atendimento geral no banco de urgências, na central de consultas, enquanto factores que, a seu ver, têm vindo a dificultar o funcionamento dos serviços.

Em relação ao corpo clínico, disse ser necessário o reforço do pessoal médico, de enfermagem, e de outros técnicos nas mais diversas áreas.

Contudo, reconhece se tratar de todo um processo a evoluir paulatinamente, no quadro de uma visão nacional, de modo a encontrar-se um equilíbrio para todo o país.

Lembrou, por outro lado, que quando se pensa em respostas no sentido de diminuir as evacuações e apostar futuramente no turismo de saúde, “há que dar mais segurança às pessoas”, e por isso uma atenção especial em cuidados diferenciados, obrigatoriamente no Hospital Dr. Agostinho Neto, na Cidade da Praia.

SR/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos