JpD realiza assembleia-geral em Junho com eleição de novos dirigentes e alterações de estatuto na agenda

 

Cidade da Praia, 29 Mai (Inforpress) – A Juventude para a Democracia (JpD), afecta ao Movimento para a Democracia (MpD-poder) realiza nos dias 02 e 03 de Junho, a sua assembleia-geral que elege novos dirigentes e altera alguns pontos do estatuto.

A informação foi avançada hoje, na Cidade da Praia, pela presidente da assembleia-geral, Nadine Janete Tavares, adiantando que o evento que vai decorrer sob o lema “Realizar a Juventude Cabo-verdiana” vai contar com cerca de 100 jovens provenientes de todos os concelhos do país e da diáspora.

No que concerne à alteração do estatuto em vigor, adiantou que a mesma vai incidir no ponto que vai permitir o aumento de números de concelhos directivo e estruturas de apoio.

Entretanto, avançou que em termos de candidaturas, de momento apenas existe uma lista liderada por Euclides Silva.

A assembleia geral que vai contar com a presença de ex-dirigentes, no dizer de Janete Tavares “será seguramente mais um momento memorável e marcante na vida do JpD, para continuar, com orgulho e abnegação, ao lado da juventude, a realizar Cabo Verde”.

De acordo com a mesma fonte, o momento vai servir também para se debater a situação actual da juventude cabo-verdiana, assegurando que este movimento “orgulha-se do percurso dos 23 anoas ao serviço da democracia e da juventude de Cabo Verde, tendo-se afirmado como uma escola de boas práticas e de formação política”.

Neste sentido Janete Tavares diz que esta Associação Juvenil política afecta ao MpD quer que os jovens participem activamente nos assuntos que interessem aos mesmos e ao futuro do país.

Avisou ainda que mesmo sendo o MpD o poder, vão ser os primeiros a avaliar e certificar do cumprimento dos compromissos assumidos pelo partido perante os jovens em áreas como formação, o empreendedorismo ou emprego.

Entretanto, fez uma avaliação “positiva” do primeiro ano de governação do MpD, tendo em conta as decisões já tomadas pelo Executivo liderado pelo Ulisses Correia e Silva, plano de actuação e “confiança” transmitida aos jovens cabo-verdianos, no que concerne a formação profissional, criação de pequenos negócios e empreendedorismo.

Questionado se um Ministério da Juventude “não faz falta”, disse que que a palavra juventude está afecta a vários ministérios, argumentando que ter um ministério com nome Juventude “não faz diferença em termos de actuação”.

FM/FP

Infopress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos