Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Jovens criam mercado online que vai permitir aos cabo-verdianos ter uma forte presença na internet dinamizando seus negócios

Cidade da Praia, 30 (Inforpress) – O engenheiro de sistemas e informática, Ricardo da Luz, em representação da equipa do projecto “NANOZ”, disse que pretendem criar um mercado online que vai permitir aos cabo-verdianos ter uma forte presença na internet, dinamizando os seus negócios.

Em declarações à Inforpress, Ricardo da Luz avançou que com o projecto “NANOZ – Tecnologia e Inovação”, os empreendedores cabo-verdianos, no País ou na diáspora, vão poder dinamizar os seus empreendimentos, de qualquer área.

“A NANOZ tem como objectivo criar um mercado online que vai permitir que os cabo-verdianos, no País e na diáspora, tenham uma presença forte na internet para dinamizar os seus negócios, sendo eles uma loja virtual, um serviço de entrega, serviço de reparação e manutenção de casas e electrónicos, entre outros”, destacou Ricardo da Luz.

Outro propósito do projecto é, segundo o responsável, garantir que qualquer empresa ou trabalhador por conta própria tenha a possibilidade de disponibilizar os seus produtos ou serviços de forma digital sem se preocupar com o suporte técnico do seu negócio.

A ideia do projecto, segundo o representante, partiu de um dos membros fundadores, Wilson Sacrossantos, que a apresentou como trabalho de conclusão de licenciatura e, depois disso, surgiu a oportunidade de concorrer com esta ideia de projecto na Bolsa Cabo Verde Digital.

“Como ele por si só não dava conta de todas as vertentes que o projecto exige, eu e mais um colega nosso, Ademir Lopes, entramos para dar suporte nas áreas que são do nosso domínio”, enfatizou.

Ricardo adiantou ainda que neste momento estão na fase de elaboração dos pitch, lean, canvas, posteriormente passarão para a outra fase que é a de finalizar o estudo de mercado, de modo a saberem quais são os sectores que vão abranger para começar a ter um minimum viable product (MVP) (produto mínimo viável, em português)”.

“Nos próximos meses temos de ter um produto com um mínimo de funcionalidade no mercado, com o intuito de recolher feedbacks e melhorar as sugestões do utilizador de acordo com a direcção da Cabo Verde Bolsa Digital”, disse, realçando que daqui a cinco meses têm que ter um produto no “mínimo viável no mercado”.

Segundo Ricardo da Luz, a NANOZ pretende desenvolver um aplicativo com funcionalidades que todos “amam”, chat criptografado, avaliação e feedback, painéis Interactivos, notificações instantâneas, categorias de produtos e serviços, localização de item e pessoas no mapa e diversos métodos de pagamento, indicou, ressaltando que estas são as funcionalidades inicialmente escolhidas mas vão inserir outras quando receberem ‘feedback’ das pessoas.

Os jovens constam da lista de concorrentes da primeira edição do programa Bolsa Cabo Verde Digital, um concurso que conta com um total de 126 empreendedores, 88 dos quais estão com projectos de desenvolvimento de soluções de base tecnológica.

TC/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos