Jovens cabo-verdianos seleccionados para o YALI- 2022 querem promover uma imagem positiva da África

Cidade da Praia, 18 Mai (Inforpress) – Os seis jovens selecionados para o programa de intercâmbio Mandela Washington Fellowship – YALI-2022, nos Estados Unidos da América, estão interessados em promover uma imagem positiva da África e não aquela de um continente cheio de problemas.

“Vamos dar a conhecer Cabo Verde a essa África nova. Vamos buscar também experiências, coisas positivas, desconstruir imagens e estereótipos negativos da África e ver como é que nós podemos ajudar a desenvolver o nosso continente e deixar de passar simplesmente esta imagem sempre negativa da África”, disse a porta-voz do grupo, Anyse Pereira Essoh, depois de um encontro com o Presidente da República, José Maria Neves.

Segundo esta jovem, o grupo, que foi recebido pelo Presidente juntamente acompanhados pela Ministra Conselheira da Embaixada dos Estados Unidos da América na cidade da Praia, Amanda Porter, vai levar uma África nova, inovadora, empreendedora e não um sítio onde se vai para dar ajuda.

A partir do próximo mês e durante seis semanas, jovens cabo-verdianos irão cumprir um programa de partilha de experiências com jovens dos demais países africanos e conhecer diferentes estruturas públicas e privadas norte-americanas.

Anualmente é concebida a oportunidade a 700 jovens líderes africanos, com idade entre os 25 e 35 anos, irem aos Estados Unidos fazer intercâmbios, cursos e treinamento de liderança, visando fortalecer a governança democrática e promover a paz e segurança nos países africanos e na América do Norte.

Segundo Anyse Pereira Essoh, o programa lançado pelo então Presidente, Barack Obama, é visto como uma “grande janela” de oportunidades para os jovens africanos.

O grupo viaja no 8 de Junho para os Estados Unidos, onde vão cumprir uma agenda de intercâmbio e formação de seis semanas.

GSF/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos