Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

José Maria Neves reconhece que “há muitos” cabo-verdianos em situação de vulnerabilidade em Angola (c/vídeo)

Luanda, 11 Jan (Inforpress) – O Presidente da República de Cabo Verde, José Maria Neves, reconheceu hoje que “há muitos” cabo-verdianos em situação de vulnerabilidade em Angola, defendendo que a documentação dos mesmos poderá contribuir para que haja um alívio da situação.

Este reconhecimento foi feito em declarações à imprensa depois de um encontro com a comunidade cabo-verdiana em Luanda, onde o Chefe de Estado ouviu as preocupações dos filhos das ilhas radicados em Angola, tendo sido a questão da pobreza e da falta de documentação dominante.

José Maria Neves disse, depois de ouvir os cabo-verdianos residentes em Angola, que há um esforço comum entre Cabo Verde e Angola no sentido de buscar soluções para os problemas que se colocam relativamente à documentação.

“O governo angolano poderá tomar novas medidas para permitir e facilitar o acesso à documentação por parte dos cabo-verdianos que já estão aqui desde a década de 40, ou antes, e, precisamente por isso, nas próximas oportunidades, o governo angolano irá anunciar os limites desta decisão”, acrescentou.

Prosseguindo, José Maria Neves reconheceu que “há muitos” cabo-verdianos em situação de vulnerabilidade em Angola, afirmando que alguns já recebem um complemento de pensão da parte do governo cabo-verdiano.

“É o esforço que o governo faz no sentido de apoiar aqueles que são mais vulneráveis. Alguns aqui, tendo acesso à documentação, também podem melhorar a sua condição de vida porque podem ter acesso a apoios e outras contribuições e prestações da parte do governo angolano”, acrescentou.

Quanto à outra preocupação levantada pelos integrantes da comunidade, que tem que ver com o facto de Angola ter, há mais de 15 anos, cedido um terreno a Cabo Verde e que ainda nem sequer há um projecto para se trabalhar o mesmo, José Maria Neves, citando a ministra da Defesa e da Coesão Territorial, Janine Lélis, que também participou no encontro, afirmou que o terreno já foi regularizado que a ideia é o Governo, o mais rapidamente quanto possível, mandar uma missão aqui para definitivamente resolver essa questão e pôr o terreno a produzir.

“Tem enormes potencialidades para a agricultura e para a pecuária”, ressaltou.

Outra preocupação levantada tem que ver com a ligação aérea entre Angola e Cabo Verde, tendo José Maria Neves frisado que os dois governos estão a fazer um esforço para ver se haverá a retoma dessa ligação tão logo seja possível.

José Maria Neves iniciou no domingo uma visita de Estado a Angola que termina amanhã, quarta-feira, 12. Da delegação fazem parte membros do Governo, representantes dos partidos políticos e das câmaras de comércio.

Da agenda da primeira visita oficial do Chefe de Estado constaram pontos como um encontro com o Presidente João Lourenço, na segunda-feira, no Palácio Presidencial, a que se seguiu uma declaração conjunta à comunicação social, onde os dois presidentes manifestaram-se interessados na elevação das “excelentes relações de amizade e cooperação” ao patamar de “parceria estratégica”.

Ainda na segunda-feira, José Maria Neves discursou na Assembleia Nacional, momento aproveitado para se dirigir “ao povo angolano”, como afirmou.

Angola é o primeiro país a ser visitado pelo Presidente de Cabo Verde, desde que tomou posse a 9 de Novembro de 2021. O convite foi feito por João Lourenço quando assistiu à posse de José Maria Neves.

 

GSF/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos