José Maria Neves deverá visitar Guiné-Bissau “tão cedo quanto possível”

Cidade da Praia, 27 Mai (Inforpress) – O Presidente da República, José Maria Neves, deverá visitar a Guiné-Bissau “tão cedo quanto possível”, respondendo a um convite reiterado pelo seu homologo guineense, Umaro Sissoco Embaló, num encontro realizado quinta-feira, em Malabo, Guiné Equatorial.

“Sissoko Embalo reiterou o convite para eu visitar a Guiné Bissau. O convite foi aceite e deverei visitar o país irmão tão cedo quanto possível”, escreveu José Maria Neves numa publicação na sua página oficial de rede social Facebook.

O Chefe de Estado cabo-verdiano conta que à chegada de Malabo, onde participa hoje e sábado, em duas cimeiras extraordinárias da União Africana, manteve “um demorado encontro” de trabalho com o Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoko Embaló, com quem discutiu a situação política na sub-região e as relações bilaterais entre os dois países irmãos.

“O Presidente Embaló informou-me, detalhadamente, sobre a situação política na Guiné Bissau, designadamente, sobre a dissolução do Parlamento, a formação do Governo e as próximas eleições legislativas”, disse declarando que foi um encontro “muito produtivo”.

O Presidente da Guiné-Bissau dissolveu na semana passada a Assembleia Nacional Popular e marcou eleições legislativas antecipadas para 18 de Dezembro.

José Maria Neves disse ainda esperar que esse encontro “contribua não só para o reforço das relações de amizade e de cooperação entre os nossos dois países, mas também para a paz, a estabilidade e o desenvolvimento da Guiné-Bissau”.

Nesta sexta-feira, José Maria Neves participa na Conferência de Doadores da UA, que tem por objectivo discutir os desafios relacionados com a assistência humanitária em África, defender o financiamento sustentável das necessidades humanitárias e mobilizar recursos para a resposta humanitária no continente.

No sábado, 28, José Maria Neves participa na 16ª Sessão Extraordinária da Conferência de Chefes de Estado e de Governo da UA, que se vai debruçar exclusivamente sobre o “Terrorismo e as mudanças inconstitucionais de Governo em África”.

O Chefe de Estado cabo-verdiano realça a importância do tema já que, na sua perspectiva, aborda dois fenómenos que afligem o continente e que precisam ser combatidos para que haja estabilidade, paz e desenvolvimento em África.

MJB/HF

Inforpress/fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos