Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Jornalismo cabo-verdiano ficou mais pobre com o falecimento do Jorge Guimarães Santos – Fundador da Inforpress

Cidade da Praia, 02 Mar (Inforpress) – O fundador da Agência Cabo-verdiana de Notícias (Inforpress) Franklin Palma lamentou hoje a morte do primeiro director da Cabopress, realçado que o jornalismo cabo-verdiano ficou “mais pobre” com o desaparecimento físico de Jorge Guimarães Santos.

O jornalista e fundador da Inforpress fez estas declarações em entrevista à Inforpress, quando reagiu à notícia do falecimento de Jorge Guimarães Santos, ocorrido hoje em Portugal, vítima de doença prolongada, afirmando que foi com muita consternação que tomou conhecimento da morte do seu colega.

“A notícia deixou-me abalado porque eu conheci o Jorge Santos ainda nos anos 70, ele trabalhava na rádio em São Vicente e mesmo à distância estabelecemos um relacionamento muito cordial, aliás, o que acontecia com os restantes colegas da rádio, que apesar de trabalharmos em órgãos diferentes, tínhamos um relacionamento muito interessante”, referiu.

Disse que lembra de Jorge Guimarães Santos como uma pessoa “meiga”, “responsável” e que fazia tudo com gosto e cuidado redobrado, lembrando que começaram a trabalhar juntos, aquando da fundação da Cabopress, após a criação de uma equipa de jornalistas para formar a redacção da agência de notícias.

“Mas tarde, aquando da criação da Cabopress, eu também transitei do jornal Voz di Povo, a convite do ministro na altura, que era exactamente para vir formar a redacção da Agência de notícias e o Jorge veio se juntar a nós, quando já tínhamos concluído um curso de formação de jornalistas para a agência, ele se juntou a nós para assumir as funções de director”, disse.

Para o fundador da Inforpress, o jornalismo cabo-verdiano ficou “mais pobre” com o falecimento do Jorge Guimarães Santos, tendo em conta a sua dedicação e o nível de responsabilidade que exercia enquanto profissional.

“Considero realmente que, para além da tristeza entre colegas que provocou, penso que o jornalismo cabo-verdiano ficou mais pobre, tendo em conta que era uma pessoa que se dedicava muito e com paixão e responsabilidade”, declarou.

Jorge Guimarães Santos foi o primeiro director da Agência Cabo-verdiana de Notícias, na altura Cabopress, no período de Setembro de 1988 a Novembro de 1991.

Exerceu as funções de director-geral da Comunicação Social até 1995, altura em que passou a exercer as funções de comunicador para o desenvolvimento em projectos sucessivos co-financiados pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

CM/JM V
Inforpress/Fim.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos